UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

21/09/2007 - 08h31

PANORAMA1-IPCA-15 ganha destaque em agenda esvaziada

Por Juliana Siqueira

SÃO PAULO, 21 de setembro (Reuters) - Após uma semana de fortes emoções, a fraca agenda desta sexta-feira deve permitir que o mercado se acomode. Nos Estados Unidos, o calendário é praticamente nulo e, no Brasil, o ponto alto é o IPCA-15.

O mercado espera, segundo a mediana das expectativas de 30 analistas, inflação de 0,41 por cento para setembro ante 0,42 por cento apurada em agosto [ID:nN21439768].

A recente pressão sobre os preços no Brasil e os últimos comentários do Banco Central aumentam as atenções sobre os dados de inflação, já que o Comitê de Política Monetária (Copom) deixou a porta aberta para uma interrupção do ciclo de afrouxamente monetário.

Nos EUA, uma série de membros do Federal Reserve falam ao longo do dia e o mercado quer mais avaliações sobre a trajetória da inflação também por lá.

Atenção também para o mercado de petróleo. A commodity atingiu na quinta-feira novo recorde --84 dólares o barril-- diante das preocupações com a produção no Golfo do México, que sofreu algumas paralisações diante da ameaça de tempestade na região.

Na Bovespa, o desempenho das ações da Satipel em sua estréia devem dar ao mercado um termômetro sobre esse tipo de operação --que vinha forte, mas sofreu um período de "vacas magras" com o aprofundamento da crise global de crédito e o período de férias no Hemisfério Norte.

Os papéis saíram no piso da estimativa dos coordenadores, a 13 reais, e foi aplicado um rateio de 55 por cento.

Este ano já foram realizadas mais de 50 ofertas de ações e cerca de 40 empresas estão com pedido de registro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), mas apenas a oferta da SulAmérica está em andamento.

Diante da ausência de dados econômicos significativos nesta sessão, o mercado já começa a olhar o calendário da próxima semana, que conta com PIB dos EUA e PCE, um dos indíces de inflação preferidos do Fed, além de nova série de comentários de autoridades do Fed --que falam em todos os dias da semana.

Para ler a agenda do dia, clique [nN21452258]

Veja como encerraram os principais mercados na quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,882 real, em alta de 0,70 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 2,17 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa recuou 0,62 por cento, a 56.906 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,68 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em baixa de 1,05 por cento, aos 31.070 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) fechou em alta na BM&F. O DI janeiro de 2010 subiu a 11,44 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, caía para 132,8 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,77 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil cedeu 11 pontos, para 166 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 188 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> caiu 0,35 por cento, para 13.766 pontos. O Nasdaq <.IXIC> perdeu 0,46 por cento, a 2.654 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> fechou em baixa de 0,67 por cento, aos 1.518 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia para 4,71 por cento no final da tarde ante 4,54 por cento na quarta-feira.

(Reportagem adicional de Silvio Cascione e Angela Bittencourt)

Hospedagem: UOL Host