UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/10/2007 - 12h10

Europa quer mais firmeza do G7 para brecar avanço do euro

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS, 2 de outubro (Reuters) - A Europa quer uma postura mais firme dos ministros de Finanças e dos bancos centrais do G7 sobre a volatilidade cambial, para tentar brecar o avanço do euro frente ao dólar, disseram fontes da União Européia.

Os ministros de Finanças da zona do euro e o Banco Central Europeu (BCE) vão discutir uma posição comum para a reunião do G7, em meio à preocupação com a queda do dólar para mínimas históricas diante do euro. O G7 é composto por Estados Unidos, Canadá, Japão, Grã-Bretanha, França, Alemanha e Itália.

"Não acho que qualquer um vá dizer que haja uma grande margem para valorização adicional do euro ante o dólar ou o iene", afirmou uma fonte próxima à preparação do encontro.

"A reunião é na semana que vem, mas eu ficaria surpreso se alguém disser que 'está tudo bem'."

O chairman do Eurogroup, Jean-Claude Juncker, disse na semana passada que há grande preocupaçção com a fraqueza do dólar.

"O objetivo é ter uma linguagem mais forte no G7", relatou uma segunda fonte.

O euro atingiu recorde na segunda-feira, acima de 1,428 dólar, com a expectativa do mercado por cortes adicionais do juro nos Estados Unidos e manutenção da taxa européia.

Ainda que a força do euro não tenha chegado aos dados comerciais, os empresários europeus disseram que já alcançou um patamar preocupante.

A França tem reclamado há muito sobre a alta do euro e a recente valorização pode amenizar o isolamento do país nessa questão.

"Dificilmente alguém vai dizer publicamente que concorda com a França, mas há um certo grau de preocupação aumentando", disse uma terceira fonte envolvida no encontro do Eurogroup.

A fraqueza do dólar está na agenda da reunião de 19 a 21 de outubro do G7, em Washington, e fontes disseram que a Europa pode não estar sozinha na pressão por um tom mais firme sobre o câmbio no comunicado final do encontro.

Hospedagem: UOL Host