UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/01/2008 - 08h00

PANORAMA1-Mercado avalia saúde do mercado de trabalho dos EUA

SÃO PAULO, 4 de janeiro (Reuters) - Um importante dado sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos fecha a primeira semana do ano. Sensíveis a qualquer indicação sobre a saúde da maior economia do mundo, os mercados financeiros esperam criação de 70 mil vagas em dezembro, segundo pesquisa da Reuters.

Na quinta-feira, a ADP Employer Services informou que o setor privado gerou 40 mil novos postos de trabalho no mês passado. Segundo analistas, o relatório mostrou resistência.

No Brasil, o aumento de tributos para compensar o fim da CPMF foi repudiado pela oposição, que se considerou traída pelo governo e promete tentar bloqueá-lo. Os parlamentares oposicionistas ameaçam prejudicar a votação do Orçamento da União para 2008.

COMMODITIES E ENERGIA

As cotações do petróleo seguem no foco dos investidores após atingir o recorde de 100 dólares por barril na abertura do ano.

Os principais grãos, como soja, trigo e milho, recebem suporte do recorde do petróleo, uma vez que produtos agrícolas têm sido utilizados cada vez mais para a produção de biocombustíveis.

Em meio a compras especulativas, o contrato julho da soja em Chicago <SN8> atingiu durante a sessão de quinta-feira o maior valor em todos os tempos, de 12,90 dólares por bushel. A soja em Chicago tem recebido também sustentação da oferta mais reduzida, após um ano em que os EUA, maiores produtores do mundo, colheram uma safra menor.

EMPRESAS

Corretoras e investidores ainda avaliam o impacto nos bancos das medidas anunciadas pelo governo na quarta-feira para compensar o fim da CPMF, que incluem aumento da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e maior IOF sobre algumas operações de crédito. Na quinta-feira, as ações dos principais bancos brasileiros voltaram a cair na Bovespa.

O UBS Pactual estima que o Unibanco <UBBR11.SA>, com menor taxa contábil de impostos, verá um impacto menos relevante das medidas que os rivais maiores Itaú <ITAU4.SA> e Bradesco <BBDC4.SA>.

Veja como encerraram os principais mercados na quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,753 real, em baixa de 1,07 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 3,2 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 0,12 por cento, a 62.891 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,3 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou com variação positiva de 0,10 por cento, aos 36.366 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) caíram na BM&F. O DI janeiro de 2009 fechou a 11,96 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 fechou a 12,67 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 134,250 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,44 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil subia 1 ponto, a 228 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 253 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> avançou 0,10 por cento, a 13.056 pontos. O Nasdaq <.IXIC> caiu 0,27 por cento, para 2.602 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> fechou estável, aos 1.447 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento caía para 3,89 por cento no final da tarde ante 3,91 por cento no final da quarta-feira.

(Por Daniela Machado, Roberto Samora, Cesar Bianconi e Mair Pena Neto; Edição de Vanessa Stelzer)

Hospedagem: UOL Host