UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/02/2008 - 18h29

PANORAMA2-Emprego nos EUA mostra fraqueza, mas Microsoft anima

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 1o de fevereiro (Reuters) - O mercado de trabalho nos Estados Unidos voltou a decepcionar os investidores nesta sexta-feira, mas notícias corporativas ajudaram a sustentar o humor no cenário externo.

Com isso, o mercado no Brasil pôde encerrar o expediente sem nervosismo e sair tranquilo para o Carnaval. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuperou os 61 mil pontos e o dólar fechou no menor patamar em dois meses e meio.

O relatório oficial sobre emprego mostrou que em janeiro os Estados Unidos cortaram postos de trabalho fora do setor agrícola pela primeira vez em quatro anos e meio. O resultado, pior que o esperado, reforçou a perspectiva de uma recessão.

Há um mês, os dados de dezembro já haviam assustado os economistas com um número muito abaixo do esperado. Essa pesquisa, aliás, foi revisada para cima nesta sexta-feira --de 18 mil para 82 mil vagas abertas em dezembro. Mas em janeiro foram fechadas 17 mil vagas.

"Estamos à beira de uma recessão", disse Daniel North, economista-chefe da Euler Hermes ACI.

Mas, ao contrário do mês passado, a decepção não virou tensão. Mais cedo, a Microsoft <MSFT.O> havia oferecido 44,6 bilhões de dólares para a Yahoo <YHOO.O>, com ágio de 62 por cento sobre o fechamento das ações na Nasdaq na quinta-feira.

O objetivo da proposta de aquisição, segundo analistas, é concorrer com o Google <GOOG.O>, líder de buscas na Internet. As ações do Yahoo disparavam quase 50 por cento à tarde, e as ações da Microsoft caíam pouco mais de 6 por cento.

Veja como encerraram os principais mercados nesta sexta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,746 real, em baixa de 0,80 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 1,77 bilhão de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 2,67 por cento, a 61.079 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,4 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

Às 18h20 (horário de Brasília), o índice de principais ADRs brasileiros operava em alta de 2,18 por cento, aos 35.750 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam sem rumo comum na BM&F. O contrato janeiro de 2009 subiu de 12,00 para 12,04 por cento. Já o contrato janeiro de 2010 caiu de 12,72 para 12,69 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 134,3 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,4 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil subia 3 pontos, a 258 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 275 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

Pouco antes do fechamento, o índice Dow Jones <.DJI> tinha variação variação positiva de 0,66 por cento, a 12.733 pontos. O Nasdaq <.IXIC> subia 0,83 por cento, para 2.4109pontos. O índice S&P 500 <.SPX> exibia alta de 1,06 por cento, aos 1.393 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia para 3,60 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Claudia Pires; Edição de Vanessa Stelzer)

Hospedagem: UOL Host