UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/02/2008 - 07h59

PANORAMA1-Balanços, Bernanke e PIB dos EUA agitam fim de mês

SÃO PAULO, 25 de fevereiro (Reuters) - A última semana de fevereiro promete fortes emoções, com a divulgação dos resultados trimestrais de importantes companhias brasileiras e de indicadores essenciais sobre a economia norte-americana, como uma nova leitura do PIB do quarto trimestre e o índice PCE de inflação.

Além disso, o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, apresenta ao Congresso o relatório semestral sobre política monetária na quarta e na quinta-feiras.

Nesta segunda-feira, o Banco Central anuncia o desempenho das contas externas do Brasil em janeiro, o que deve confirmar a notícia de que o país tornou-se credor externo.

EMPRESAS

A agenda de divulgação de resultados corporativos do quarto trimestre esquenta no Brasil. Os destaques ficam por conta de Banco do Brasil <BBAS3.SA>, na terça-feira, e dos dois pesos-pesados da Bolsa de Valores de São Paulo --Petrobras <PETR4.SA> e Vale <VALE5.SA>-- na quinta-feira. Também no dia 28, Oi <TNLP4.SA> e AmBev <AMBV4.SA> anunciam seu desempenho de outubro a dezembro e referente ao ano de 2007.

POLÍTICA

O governo encaminha na quinta-feira ao Congresso o projeto de reforma tributária, que pretende desonerar empresas, gerar mais empregos e acabar com a guerra fiscal entre os Estados.

O projeto tem como principal destaque a desoneração da folha de pagamento, com a suspensão da cobrança do salário-educação. Também vai reduzir gradativamente a contribuição das empresas ao INSS e propõe criar o Imposto de Valor Agregado (IVA) federal, que reunirá PIS/Pasep, Cofins e Cide. O ICMS estadual será unificado no IVA dos Estados.

Enquanto isso, a CPI dos cartões corporativos permanece na pauta do Congresso.

Veja como encerraram os principais ativos na sexta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar caiu 0,18 por cento, a 1,708 real. O volume no segmento interbancário foi de cerca de 2,2 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa avançou 1,28 por cento, para 64.608 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 5,3 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros subiu 1,34 por cento, aos 38.141 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) encerraram sem tendência comum na BM&F. O DI janeiro 2009 subiu para 11,72 por cento, enquanto o DI janeiro 2010 manteve-se em 12,34 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 133,0 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,55 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

O risco Brasil cedia 11 pontos no fim da tarde, a 244 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 270 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> encerrou em alta de 0,79 por cento, a 12.381 pontos. O Nasdaq <.IXIC> subiu 0,16 por cento, aos 2.303 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> avançou 0,79 por cento, a 1.353 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia para quase 3,82 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Por Daniela Machado, Cesar Bianconi e Carmen Munari; Edição de Vanessa Stelzer)

Hospedagem: UOL Host