UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/03/2008 - 17h41

PANORAMA2-Mercado tenta digerir crise global após venda do Bear

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 17 de março (Reuters) - O choque provocado pelo colapso do Bear Stearns <BSC.N>, vendido no final de semana a um preço irrisório para o JPMorgan <JPM.N>, afetou os mercados globais nesta segunda-feira.

As taxas de empréstimo interbancário subiram na Europa e em Nova York, em um sinal da desconfiança que os bancos têm alimentado entre si.

Nos Estados Unidos, o rendimento dos Treasuries caiu com a busca de investidores por um refúgio. O retorno dos títulos de 3 meses <US3MT=RR> chegou a recuar a um nível inédito em 50 anos.

O mercado de commodities, que vinha subindo em meio à ação de especuladores, também cedeu. O petróleo despencou mais de 4 dólares em Nova York, mas manteve-se acima dos 100 dólares o barril.

"Se você tem uma crise de confiança em todo o espaço bancário e algo do tamanho do Bear Stearns vem abaixo, então as pessoas entram em pânico", disse Simon Maughan, analista do MF Global, em Londres.

Apesar do tumulto, o mercado avaliou que o JP Morgan fez um bom negócio ao comprar o Bear Stearns por 1,2 por cento do valor do banco no ano passado. As ações do JP destoaram do resto do setor financeiro e subiram 10 por cento.

Entre os outros bancos, muitas perdas. A mais contundente foi a do Lehman Brothers, com baixa de quase 20 por cento --o banco de investimento tem sido vítima do medo de investidores, que desconfiam que a instituição pode reprisar o repentino colapso do Bear Stearns.

A esperança do mercado se volta ao Federal Reserve, que se reúne na terça-feira e deve cortar o juro mais uma vez. O banco central norte-americano já injetou bilhões de dólares no mercado de crédito, além de patrocinar a operação que evitou a falência do Bear Stearns.

Veja como encerraram os principais mercados nesta segunda-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,724 real, em alta de 0,64 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 5 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa caiu 3,19 por cento, a 60.011 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,99 bilhões de reais, com pouco mais de 580 milhões de reais do exercício de opções.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em baixa de 3,35 por cento, aos 34.986 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em alta na BM&F. O DI janeiro de 2009 subiu a 12,26 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 avançou a 13,12 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, recuava para 132,44 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,59 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil avançava 15 pontos, a 304 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 326 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> fechou em alta de 0,18 por cento, a 11.972 pontos. O Nasdaq <.IXIC> caiu 1,6 por cento, para 2.177 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> cedeu 0,9 por cento, aos 1.276 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, avançava e o rendimento caí para 3,32 por cento no final da tarde ante 3,47 por cento na sexta-feira.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves; Edição de Daniela Machado)

Hospedagem: UOL Host