UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/03/2008 - 17h35

PANORAMA2-Commodities caem de novo, mas agora bolsa se sustenta

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 20 de março (Reuters) - Mais uma rodada de desvalorização atingiu as commodities, na véspera do feriado da Sexta-Feira Santa. Desta vez, no entanto, o ajuste de posição não derrubou as bolsas de valores.

Os principais índices acionários em Nova York fecharam em alta de mais de 2 por cento. Mesmo no Brasil, onde a Petrobras <PETR4.SA> e a Vale <VALE5.SA> dominam o principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o mercado registrou discreta alta.

O setor financeiro foi um dos destaques em Wall Street, depois que o Federal Reserve anunciou o volume da primeira sessão especial de injeção de liquidez --75 bilhões de dólares--, com uma gama ainda maior de títulos que podem ser usados como garantia.

Outros setores, porém, tiveram bom desempenho com a percepção de que a baixa das commodities pode ajudar a amenizar as pressões inflacionárias nos EUA.

"Continuamos vendo realização de lucros entre as commodities", disse Mike Wittner, chefe global de pesquisa de mercado de petróleo do Société Génerale.

O petróleo em Nova York <CLc1> chegou a ser cotado abaixo de 100 dólares pela primeira vez em duas semanas. O ouro <=XAU> caía, no meio da tarde, mais de 4 por cento.

O dólar foi um dos principais beneficiados pela queda das commodities, já que boa parte do lucro embolsado em ativos do setor foi repatriado para os EUA.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,733 real, em alta de 0,70 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 2,132 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 0,27 por cento, a 58.987 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,9 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros teve variação positiva de 0,08 por cento, aos 34.127 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) mais curtos fecharam em baixa na BM&F. O DI janeiro de 2009 caiu a 12,21 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 manteve-se em 13,12 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subia para 133,44 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,44 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil mostrava estabilidade, a 290 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 312 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> avançou 2,16 por cento, a 12.361 pontos. O Nasdaq <.IXIC> subiu 2,18 por cento, para 2.258 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> teve valorização de 2,39 por cento, aos 1.329 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía levemente, com rendimento de 3,34 por cento no final da tarde ante 3,33 por cento na quarta-feira.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves; Edição de Daniela Machado)

Hospedagem: UOL Host