UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

03/04/2008 - 18h09

PANORAMA2-Sem surpresa com Bernanke, mercado respira

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 3 de abril (Reuters) - O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, praticamente repetiu diante do Senado a fala da véspera e permitiu que os mercados respirassem um pouco nesta quinta-feira, com leve alta das bolsas em Wall Street.

Na quarta-feira, o presidente do Banco Central norte-americano havia admitido a possibilidade de que os Estados Unidos tenham uma recessão neste primeiro semestre.

O Brasil seguiu a relativa tranquilidade no exterior, com queda do dólar pelo terceiro dia seguido e alta da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) para mais de 64 mil pontos.

A calmaria externa ocorreu mesmo com a surpresa negativa provocada pelos dados de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, que cresceram mais do que o esperado na semana passada. Na sexta-feira será divulgado o aguardado relatório do governo sobre a abertura de postos de trabalho em março.

O ruído mais forte no mercado acabou sendo no Brasil, com a discussão entre Fazenda e Banco Central sobre as políticas monetária e cambial. Em entrevista à Reuters, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, negou que o país vá determinar metas cambiais ou abandonar o regime de metas de inflação.

Mesmo assim, a possibilidade de que o governo venha a apertar o cinto nas contas públicas ajudou a derrubar as projeções de juros futuros na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Com uma maior poupança do governo, diminuiria a necessidade de elevação da taxa básica de juros.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,718 real, em queda de 0,58 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 1,325 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 1,28 por cento, a 64.175 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 5,6 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de de 1,11 por cento, aos 37.622 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) fechou em baixa na BM&F. O DI janeiro de 2009 caiu a 12,29 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 recuou a 13,12 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subiu para 134,313 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,31 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil a 262 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 287 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> subiu 0,16 por cento, a 12.626pontos. O Nasdaq <.IXIC> subiu 0,08 por cento, para 2.363 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> subiu 0,13 por cento, aos 1.369 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subiu e o rendimento caiu para 3,58 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves e Vanessa Stelzer; Edição de Cláudia Pires)

Hospedagem: UOL Host