UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/04/2008 - 17h48

PANORAMA2-Mercado lê emprego fraco nos EUA como juro menor

Por Vanessa Stelzer

SÃO PAULO, 4 de abril (Reuters) - O dado foi ruim, mas a leitura que o mercado fez foi positiva: menos empregos significam mais cortes de juros e maior estímulo à economia dos Estados Unidos. Com isso, o dólar caiu ante o real e a Bovespa subiu.

Os Estados Unidos fecharam mais postos de trabalho que o previsto em março --80 mil--, mês em que a taxa de desemprego chegou ao maior nível em dois anos e meio.

"O payroll (postos de trabalho) teve influência negativa no mercado, mas até o final da manhã boa parte dele já havia se recuperado", disse Flávio Serrano, economista-chefe da López León Markets.

Logo após a divulgação dos dados, os juros futuros dos Estados Unidos apontaram 40 por cento de chance de corte de juro pelo Federal Reserve de 0,50 ponto percentual em abril, contra 20 por cento na quinta-feira.

Uma pesquisa da Reuters mostrou no fim do dia que os dealers primários são unânimes em prever um corte em abril, sendo que 11 vêem uma redução de 0,50 ponto e 6 apostam em 0,25 ponto. A maioria deles acreditam em nova redução em junho.

Um maior estímulo monetário dá suporte aos Estados Unidos na tentativa de evitar ou aliviar uma eventual recessão, que prejudicaria a economia global.

Internamente, o setor automotivo divulgou mais um recorde de vendas e produção no primeiro trimestre, o que reforça a visão de que o Banco Central vai começar a elevar os juros em algum momento neste ano, uma vez que a demanda interna segue bastante aquecida.

Veja como encerraram os principais mercados nesta sexta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,710 real, em queda de 0,47 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 2,813 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 0,42 por cento, a 64.445 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 7,5 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 1,07 por cento, aos 38.025 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam sem tendência comum na BM&F. O DI janeiro de 2009 fechou estável a 12,29 por cento ao ano. O DI janeiro de 2010 caiu de 13,12 por cento para 13,09 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 134,688 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,26 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil subia 1 ponto a 264 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 294 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> declinou 0,13 por cento, a 12.609 pontos. O Nasdaq <.IXIC> avançou 0,32 por cento, para 2.370 pontos. Na semana, o Nasdaq teve sua maior alta desde agosto de 2006. O índice S&P 500 <.SPX> teve variação positiva de 0,08 por cento, aos 1.370 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento recuava para 3,47 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves e Fábio Gerhke; Edição de Alexandre Caverni)

Hospedagem: UOL Host