UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/04/2008 - 16h15

JURO-Dentro do esperado, mas em aceleração, inflação pressiona

SÃO PAULO, 25 de abril (Reuters) - A maior parte das projeções de juros encerrou a sexta-feira em alta na Bolsa de Mercadorias & Futuros, refletindo novos sinais de que o cenário inflacionário segue sob pressão e não deve mudar a cabeça do Banco Central em breve.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2009, o mais negociado, subiu de 12,68 por cento ao ano na véspera para 12,71 por cento. O DI janeiro de 2010 ficou estável em 13,67 por cento.

"Os resultados do IPC-Fipe e do IPCA-15 não trouxeram surpresas (ruins), mas ainda são negativos do ponto de vista do combate à inflação", disse Vladimir Caramaschi, economista-chefe da Fator Corretora. "Em resultado, os futuros devem continuar subindo."

Pela manhã, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) mostrou alta de 0,49 por cento para a terceira quadrissemana do mês, ante a elevação de 0,43 por cento na segunda leitura. Analistas ouvidos pela Reuters previam 0,48 por cento.

Outro relatório mostrou que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,59 por cento em abril, seguindo a alta de 0,23 por cento em março. O número superou a mediana das previsões, de 0,56 por cento, mas ficou dentro da faixa de estimativas de 0,50 a 0,63 por cento.

No mercado aberto, o BC recolheu 21,504 bilhões de reais dos bancos, pagando 11,62 por cento ao ano. Os recursos serão devolvidos na segunda-feira.

Além disso, o BC vendeu o equivalente a 1,781 bilhão de dólares --ou 98,7 por cento da oferta total-- em contratos de swap cambial reverso.

(Reportagem de Vanessa Stelzer; edição de Cláudia Pires)

Hospedagem: UOL Host