UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/05/2008 - 17h47

PANORAMA2-Inflação calma alivia pressão sobre Fed e Wall St sobe

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 14 de maio (Reuters) - A inflação ao consumidor ficou comportada nos Estados Unidos em abril e injetou otimismo nos mercados globais nesta quarta-feira, afastando a chance de uma alta do juro no curto prazo pelo Federal Reserve.

De acordo com o Departamento de Comércio, o Índice dos Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,2 por cento em abril, abaixo da previsão de alta de 0,3 por cento. O núcleo do índice avançou apenas 0,1 por cento.

"Isso esfriou muito a preocupação de pessoas que temiam que uma inflação mais agressiva forçasse o Fed a elevar os juros", disse Al Goldman, estrategista-chefe de mercado do Wachovia Securities, em St. Louis.

O Fed vem reduzindo o juro básico nos últimos meses para estimular a economia norte-americana, seriamente abalada pelas crises nos mercados imobiliário e financeiro. A taxa atual é de 2 por cento ao ano.

A notícia ajudou a impulsionar as bolsas de valores nos Estados Unidos, com reflexos no Brasil. O dólar, que subiu em meio à expectativa de uma presença maior do governo no mercado com a criação do fundo soberano, diminuiu a alta ao longo do dia em meio ao bom humor no mercado internacional.

No final do dia, porém, os índices em Wall Street perderam força, especialmente o Nasdaq <.IXIC>, com a queda nas ações da Apple <APPL.O>.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) foi mais influenciada pela queda do petróleo, que ajudou a promover uma realização de lucros nas ações da Petrobras <PETR4.SA>. Após subir na maior parte do dia, o Ibovespa <.BVSP> fechou em baixa de x,xx por cento.

No mercado de juros futuros, as projeções saltaram com a manutenção do superávit primário e a expectativa de que a inflação continue a mostrar sinais de aceleração.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quarta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,663 real, em alta de 0,36 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 2,710 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 0,68 por cento, a 70.026 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,7 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em queda de 0,82 por cento, aos 41.888 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em alta na BM&F. O DI janeiro de 2009 subiu a 13,12 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 avançou a 14,42 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subiu para 135,938 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,02 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil subia 4 pontos, a 209 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 258 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> subiu 0,52 por cento, a 12.898 pontos. O Nasdaq <.IXIC> valorizou 0,06 por cento, para 2.496pontos. O índice S&P 500 <.SPX> subiu 0,40 por cento, aos 1.408 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subiu e o rendimento caiu para 3,91 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves e Fabio Gehrke; Edição de Cláudia Pires)

Hospedagem: UOL Host