UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/05/2008 - 10h48

JURO-Sem surpresas com dados, projeções corrigem alta anterior

SÃO PAULO, 15 de maio (Reuters) - Sem surpresas com os índices de inflação e atividade divulgados nesta quinta-feira, as projeções de juro aproveitavam para devolver a forte alta da véspera e operavam em queda na abertura dos negócios.

Os indicadores vieram fortes --o IGP-10 teve em maio a maior alta desde dezembro e as vendas do comércio registraram o melhor trimestre da série histórica iniciada em 2001--, mas tal movimento já era esperado e o mercado resolveu focar-se nas medidas da véspera sobre a isenção de Pis/Cofins dos preços do trigo, da farinha e do pão francês.

A medida não deve desacelerar a inflação, mas pode ajudar a evitar uma alta maior, já que esses produtos estão entre as maiores elevações nos índices de preços em razão das cotações internacionais, segundo um operador.

O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) janeiro de 2010 --o mais negociado-- caía de 14,42 por cento no fechamento da véspera para 14,35 por cento. O DI janeiro de 2009 recuava de 13,12 para 13,07 por cento.

A tendência do mercado, no entanto, segue sendo de alta, já que em meio aos constantes dados de aceleração de inflação, os prognósticos para a Selic seguem subindo.

Uma pesquisa da Reuters mostrou na véspera de de 15 instituições financeiras ouvidas, 12 esperam alta de 0,50 ponto percentual na Selic na reunião de junho e 3 apostam em 0,75 ponto. Um levantamento feito em abril apontava 13 apostas em elevação de 0,50 ponto e 2 em 0,25 ponto.

(Reportagem de Vanessa Stelzer; edição de Cláudia Pires)

Hospedagem: UOL Host