UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

15/05/2008 - 18h10

PANORAMA2-EUA mostram fraqueza, mas não desanimam mercado

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 15 de maio (Reuters) - Os dados econômicos nos Estados Unidos trouxeram notícias desanimadoras nesta quinta-feira, mas não foram suficientes para impedir a alta das bolsas de valores em Nova York e no Brasil.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) bateu mais um recorde de fechamento, acima de 71 mil pontos. Um dos destaques do pregão foi a Vale <VALE5.SA>, com alta de 2,88 por cento.

Em Wall Street, os principais índices ganharam força no final do dia. A alta foi puxada pela expectativa de um pacote no Senado para ajudar o mercado imobiliário e pelo desempenho do setor de tecnologia em meio à batalha pelo Yahoo <YHOO.O>.

O bom desempenho do mercado acionário favoreceu a queda do dólar no Brasil. A moeda recuou também por causa do ingresso de divisas no país, segundo agentes de mercado.

O avanço das ações ofuscou a fraqueza de indicadores industriais referentes ao começo do mês. A atividade industrial no Meio-Atlântico dos Estados Unidos recuou pelo sexto mês seguido em maio, e a atividade manufatureira também declinou no mês, de acordo com relatórios de unidades regionais do Fed.

O mercado de trabalho também deu sinais de apatia. O número de trabalhadores que recebem o auxílio-desemprego há mais de uma semana chegou ao maior nível em quatro anos --3,06 milhões de indivíduos.

No Brasil, os números mostraram força da economia. As vendas do comércio varejista cresceram 12 por cento no primeiro trimestre, recorde para a série do IBGE iniciada em 2001.

Mas a inflação ainda exibe força. O Índice Geral de Preços do Mercado-10 (IGP-10) teve em maio a maior taxa desde dezembro e a maior variação para maio dos últimos 13 anos, com alta de 1,52 por cento.

O mercado de juros futuros, porém, preferiu dar mais atenção a medidas de desoneração do trigo --que podem ajudar a combater a inflação dos alimentos. As projeções devolveram parte da alta da véspera e fecharam em queda.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,655 real, em queda de 0,48 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 2,863 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 2,09 por cento, a 71.492 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 5,9 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 2,54 por cento, aos 42.954 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em baixa na BM&F. O DI janeiro de 2009 recuou a 13,09 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 caiu a 14,34 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subiu para 136,438 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 4,95 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil subia 5 pontos, a 210 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 263 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> subiu 0,73 por cento, a 12.992 pontos. O Nasdaq <.IXIC> valorizou 1,48 por cento, para 2.533 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> teve alta de 1,06 por cento, aos 1.423 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subiu e o rendimento caiu para 3,8 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Vanessa Stelzer; Edição de Cláudia Pires)

Hospedagem: UOL Host