UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/05/2008 - 18h01

PANORAMA2-Expectativa com Fitch mantém mercado local otimista

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 16 de maio (Reuters) - A expectativa do mercado de que o Brasil receberá o grau de investimento por mais uma agência não se confirmou nesta sexta-feira, mas isso não foi suficiente para aplacar o otimismo dos investidores. O dólar caiu para a mínima desde a crise cambial, e a Bovespa registrou novo recorde, acima de 72 mil pontos.

A avaliação de muitos agentes é de que a Fitch está prestes a promover o país, repetindo a avaliação da Standard & Poor's e ratificando a entrada do Brasil no clube dos bons pagadores.

"O mercado está com o sinal amarelo ligado, prestando bastante atenção. Porque a qualquer momento pode acontecer, ou não", comentou o operador de câmbio de uma corretora nacional, que preferiu não ser identificado.

O avanço da Bolsa de Valores de São Paulo, como vem ocorrendo nas últimas semanas, foi liderado pelas empresas relacionadas a commodities. A Vale <VALE5.SA> teve alta de 3,13 por cento, e a Petrobras <PETR4.SA> subiu 2,21 por cento.

No mercado de câmbio, a entrada de recursos dominou os negócios, segundo operadores. O fluxo positivo foi o principal fator para a queda da moeda norte-americana, que teve o menor fechamento desde 20 de janeiro de 1999.

Até os juros futuros, que vinham estressados, fecharam em queda. Foi o segundo dia seguido de baixa, corrigindo o excesso de alta após a sucessão recente de dados fortes de inflação.

O bom humor no mercado doméstico ofuscou os números ruins sobre a economia dos Estados Unidos, como a queda da confiança do consumidor para o menor nível em 28 anos.

As bolsas fecharam perto da estabilidade em Wall Street, ajudadas pelo novo recorde do petróleo, que sustentou as ações do setor de energia.

Veja como encerraram os principais mercados nesta sexta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,642 real, em baixa de 0,79 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 3,701 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa fechou em alta de 1,78 por cento, a 72.766 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,8 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 2,23 por cento, aos 43.910 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em baixa na BM&F. O DI janeiro de 2009 recuou a 13,04 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 caiu para 14,18 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, subiu para 136,875 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 4,88 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil caiu 8 pontos a 202 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 254 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> caiu 0,05 por cento, a 12.986 pontos. O Nasdaq <.IXIC> caiu 0,19 por cento, para 2.528 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> subiu 0,13 por cento, aos 1.425 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caiu e o rendimento subiu para 3,85 por cento no final da tarde.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves e Vanessa Stelzer; Edição de Cláudia Pires)

Hospedagem: UOL Host