UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/06/2008 - 17h30

PANORAMA2-Petróleo e bancos assustam mercado e derrubam bolsas

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 26 de junho (Reuters) - A queda de 3 por cento do índice Dow Jones traduziu a dificuldade enfrentada pelos mercados internacionais nesta quinta-feira, com recorde do petróleo em 140 dólares por barril e migração dos investidores para ativos considerados mais seguros.

A turbulência começou com notícias negativas no setor bancário. Um relatório do banco de investimento Goldman Sachs previu perdas de quase 9 bilhões de dólares para o Citigroup e de mais de 4 bilhões de dólares para o Merrill Lynch.

A preocupação com a saúde do setor financeiro, abalado nos últimos meses pela crise global de crédito, se somou à tensão pela alta de 5 dólares do petróleo no mercado norte-americano.

"O petróleo está agora em 140 dólares por barril, e há a preocupação real de que o crescimento mundial se desacelere profundamente, o que está atingindo todos os setores", disse Eddie Bakker, diretor-gerente de venda e operação de ações da Calyon Securities, em Nova York.

O avanço da commodity foi explicado, em parte, pela queda do dólar diante de outras moedas internacionais. Na véspera, o Federal Reserve manteve o juro dos EUA e não deu sinal claro de que a taxa será elevada em breve --favorecendo a saída de capitais do país em busca de aplicações mais rentáveis.

"O dólar está nas cordas e tem mais espaço para cair", disse Michael Woolfolk, estrategista sênior de câmbio do Bank of New York Mellon.

A instabilidade contaminou a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) e o risco-país subiu. Mas o Brasil não foi o único afetado pela aversão a risco --os preços dos títulos do Tesouro norte-americano subiram com a busca dos investidores por um refúgio.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,602 real, em alta de 0,69 por cento. O volume no segmento interbancário foi de 2,7 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa perdeu 2,89 por cento, a 63.946 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 6,7 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em baixa de 3,07 por cento, aos 39.010 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

Os contratos de depósito interfinanceiro (DI) fecharam em alta na BM&F. O DI janeiro de 2009 subiu a 13,30 por cento, enquanto o DI janeiro de 2010 avançou a 14,98 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, cedia para 132,06 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,5 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil avançava 10 pontos, a 219 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 284 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> caiu 3,03 por cento, a 11.453 pontos. O Nasdaq <.IXIC> perdeu 3,33 por cento, para 2.321 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> fechou em baixa de 2,9 por cento, aos 1.283 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, subia e o rendimento caía para 4,04 por cento no final da tarde ante 4,10 por cento na quarta-feira.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves e Vanessa Stelzer; Edição de Daniela Machado)

Hospedagem: UOL Host