UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/08/2008 - 17h27

PANORAMA2-PIB dos EUA garante dia positivo nas bolsas

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 28 de agosto (Reuters) - O crescimento de 3,3 por cento dos Estados Unidos no segundo trimestre, que afastou temporariamente a perspectiva de uma recessão na maior economia do mundo, levantou as bolsas de valores nesta quinta-feira.

O resultado superou o cálculo anterior do governo, que estimava a expansão em 1,9 por cento. Os gastos de consumo e as exportações sustentaram a economia, que tem sido abalada pela crise nos setores imobiliário e financeiro.

Em Nova York, as bolsas de valores tiveram alta de mais de 1 por cento. O dólar também se favoreceu, com alta de 0,25 por cento em relação a uma cesta com as principais moedas <.DXY>.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) também subiu, recuperando-se para o maior nível em 20 dias.

"Eu acho que está bem claro que o segundo trimestre não só não foi um trimestre de recessão, como na verdade foi um período muito robusto", disse Michael Englund, economista-chefe da Action Economics, nos Estados Unidos.

A queda do número semanal de pedidos de auxílio-desemprego para 425 mil também aliviou o mercado, ainda que o número siga em níveis considerados altos.

No Brasil, o dólar acompanhou a valorização global e fechou em alta de 0,68 por cento. O mercado foi influenciado também por ajustes provocados pela chegada do final do mês, que aumenta a disputa em torno das posições dos investidores no mercado futuro e de derivativos cambiais.

No mercado de commodities, o petróleo encerrou a série de altas provocada pela tempestade tropical Gustav e teve queda de 2,56 dólares nos Estados Unidos. O índice Reuters-Jefferies de commodities <.CRB> teve baixa de 1,91 por cento.

Veja como encerraram os principais mercados nesta quinta-feira:

CÂMBIO <BRBY>

O dólar terminou a 1,633 real, em alta de 0,68 por cento. O volume do segmento interbancário foi de 4,382 bilhões de dólares.

BOLSA <.BVSP>

O Ibovespa subiu 1,55 por cento, a 56.382 pontos. O volume financeiro na bolsa foi de 4,3 bilhões de reais.

ADRs BRASILEIROS <.BR20>

O índice de principais ADRs brasileiros fechou em alta de 1,37 por cento, aos 33.680 pontos.

JUROS <0#2DIJ:>

A maioria dos contratos de depósito interfinanceiro (DI) fechou em baixa na BM&F. O DI janeiro de 2009 seguiu a 13,90 por cento, e o DI janeiro de 2010 caiu a 14,68 por cento.

GLOBAL 40 <BRAGLB40=RR>

O título de referência dos mercados emergentes, o Global 40, avançava para 132,063 por cento do valor de face no final da tarde, oferecendo rendimento de 5,41 por cento ao ano.

RISCO-PAÍS <11EMJ>

No final da tarde, o risco Brasil caía 4 pontos, a 244 pontos-básicos. O EMBI+ estava em 305 pontos-básicos.

BOLSAS DOS EUA

O índice Dow Jones <.DJI> teve valorização de 1,85 por cento, a 11.715 pontos. O Nasdaq <.IXIC> ganhou 1,22 por cento, para 2.411 pontos. O índice S&P 500 <.SPX> avançou 1,48 por cento, a 1.300 pontos.

TREASURIES DE 10 ANOS <US10YT=RR>

O preço dos títulos do Tesouro norte-americano de 10 anos, referência do mercado, caía e o rendimento subia para 3,79 por cento no final da tarde ante 3,77 por cento na véspera.

(PANORAMA1 e PANORAMA2 são localizados no terminal de notícias da Reuters pelo código PAN/SA)

(Reportagem adicional de Aluísio Alves e Vanessa Stelzer)

Hospedagem: UOL Host