! BRF prevê decisão do Cade sobre Sadia em até 5 meses - 10/09/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

10/09/2009 - 15h17

BRF prevê decisão do Cade sobre Sadia em até 5 meses

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - A Brasil Foods, atual denominação da Perdigão, estimou nesta quinta-feira que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) levará pelo menos de 4 a 5 meses para aprovar a incorporação da Sadia.

"É de 4 a 5 meses o tempo que a gente estima para uma definição do Cade", declarou o copresidente do Conselho de Administração da BRF, Nildemar Secches, em palestra no Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças.

A Sadia foi incorporada pela Perdigão em negócio formalizado no dia 19 de maio, após sofrer expressivas perdas com derivativos cambiais no ano passado.

O acordo que resultou na BRF ainda está sob análise do Cade, com o qual a Brasil Foods assinou um termo que garante a reversibilidade da aquisição.

No início deste mês, a BRF informou que vai transferir até 3,5 bilhões de reais à Sadia como parte do processo de "saneamento financeiro" da empresa.

Segundo Secches, a parte societária da operação está concluída e todos os acionistas da Sadia já migraram para a BRF.

"Até o momento não tem dissidentes", declarou ele, observando que o prazo para uma manifestação desse tipo está se encerrando.

Secches lembrou ainda, durante palestra, que a BRF, caso o negócio seja aprovado, formará uma empresa que negociaria 9 por cento de toda a proteína animal do mundo.

Em entrevista a jornalistas, o executivo disse que o Cade poderia liberar operações conjuntas da BRF com a Sadia no exterior antes de uma aprovação final da associação.

Questionado se não haveria algum empecilho para ocorrer uma liberação parcial, ele afirmou: "Pode, não tem problema nenhum. Precisaria do Cade liberar o mercado externo...O mercado externo, o que afeta a concorrência interna?", completou ele.

A autorização para operações internacionais conjuntas permitiria, por exemplo, que os diretores das empresas no exterior possam trocar informações e operar juntos.

"Os diretores da Arábia Saudita da Perdigão e da Sadia ainda não podem conversar", exemplificou.

O acerto das empresas com o Cade para reversibilidade da aquisição veda que a Perdigão exerça controle sobre a Sadia, determina que as estruturas administrativas, produtivas e comerciais da Sadia serão mantidas e independentes e ainda limita a troca de informações entre as duas empresas.

(Edição de Camila Moreira e Denise Luna)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host