! Eletrobrás: licitação de Belo Monte tem que ser feita este ano - 11/09/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

11/09/2009 - 17h45

Eletrobrás: licitação de Belo Monte tem que ser feita este ano

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente da Eletrobrás, José Antônio Muniz Lopes, afirmou que é fundamental para o cronograma energético do Brasil a realização ainda esse ano da licitação da usina hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu, Pará.

"Em nome do Brasil é melhor que a licitação saia ainda esse ano, para ter a energia de Belo Monte o mais cedo possível", declarou o executivo a jornalistas, na porta da sede da estatal nesta sexta-feira.

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) publicou no Diário Oficial nessa sexta-feira que a construção da usina é prioritária para o país.

A licitação está programada para novembro desse ano e essa semana começaram a ser realizadas as audiências públicas sobre o projeto. As audiências, em cidades da região Norte do Brasil, vão se estender até a semana que vem.

"Já houve a primeira audiência e o projeto vai caminhando bem. Temos mais audiências no fim de semana e outra em Belém, na terça-feira", disse Lopes a jornalistas.

"Esse é o projeto mais importante dos últimos tempos para o Brasil. Se simularem a a expansão do setor elétrico brasileiro com e sem Belo Monte, vocês vão ver a importância dessa usina para o país", acrescentou.

O projeto está previsto para entrar em operação entre 2013 e 2014 e terá capacidade de ao menos 11 mil megawatts. A usina é considerada o maior projeto hidrelétrico do Brasil, depois da binacional de Itaipu, uma parceria entre Brasil e Paraguai.

O presidente da Eletrobrás disse ainda que aguarda uma orientação do Governo sobre a participação de empresas estatais na licitação da usina.

Grupos privados nacionais e estrangeiros estavam se articulando para formar um grande consórcio para construir o empreendimento. No entanto, o governo federal se posicionou contra a idéia ao argumentar que pretende fomentar a competição entre empresas na concorrência por Belo Monte.

"Não seria bom para o Brasil um só consórcio", declarou Lopes, que defendia anteriormente que a Eletrobrás fosse a única estatal no leilão.

Ele acrescentou que, se necessário, as subsidiárias do grupo Eletrobrás vão entrar separadas na licitação para garantir a competição.

"A Eletrobrás concluiu os estudos e é fundamental para o projeto de Belo Monte... podemos até mesmo contrariar algumas linhas básicas nossas, ou seja, ter mais de uma empresa na disputa", destacou o presidente da estatal.

A construção da usina está estimada em aproximadamente 10 bilhões de dólares, segundo cálculos preliminares do governo

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host