! Vendas no varejo sobem pelo 3o mês seguido em julho - 15/09/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

15/09/2009 - 12h15

Vendas no varejo sobem pelo 3o mês seguido em julho

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - As vendas no varejo brasileiro cresceram um pouco menos que o esperado em julho, mas acumularam um trimestre de taxas positivas e se recuperaram do abalo provocado pela crise global.

A alta no mês foi de 0,5 por cento sobre junho, com ajuste sazonal, e de 5,9 por cento em relação a julho do ano passado, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam crescimento mês a mês de 0,8 por cento e alta na comparação anual de 6,2 por cento.

O patamar de vendas alcançou o maior nível da série histórica, iniciada em 2001, segundo o IBGE. "O comércio não está maravilhosamente bem, está revertendo perdas do passado. O comércio já recuperou o período crítico e atingiu o ponto mais alto da série", afirmou o economista do IBGE Nilo Lopes de Macedo.

No ano, as vendas acumulam alta de 4,7 por cento e nos últimos 12 meses, de 5,8 por cento.

O ritmo de expansão das vendas, no entanto, diminuiu nos últimos meses. Depois de avançar 0,4 por cento entre abril e maio, as vendas cresceram 1,7 por cento em junho, mas em julho a expansão desacelerou para 0,5 por cento.

SETORES

Na comparação mensal, apenas quatro dos dez setores pesquisados tiveram crescimento das vendas: Livros, jornais, revistas e papelaria (4,2 por cento); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (3,8 por cento); Móveis e eletrodomésticos (1,9 por cento) e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,8 por cento).

Em relação a julho do ano passado, as vendas cresceram em seis dos oito segmentos, com destaque para Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (10,1 por cento) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (13,4 por cento).

A receita nominal aumentou 0,5 por cento mês a mês e saltou 9,4 por cento na comparação anual, acumulando em 2009 alta de 9,8 por cento.

VAREJO AMPLIADO

Motor do crescimento da economia nos últimos meses, o comércio de veículos sofreu um freio em julho, segundo o IBGE.

Depois de avançar 6,9 e 9,3 por cento nos meses de maio e junho, respectivamente, as vendas de Veículos, motos e peças caíram 10,4 por cento em julho ante o mês imediatamente anterior.

Se os segmentos de veículos e materiais de construção, o chamado varejo ampliado, forem levados em consideração, as vendas em julho caíram 6 por cento, primeira queda desde abril deste ano e pior resultado desde outubro do ano passado.

"O crescimento de veículos era forte. Acredito que haja um movimento de esgotamento da política de incentivo fiscal (redução de IPI). Ninguém compra carro novo todo mês", acrescentou Pereira, do IBGE. "Houve também um movimento de antecipação de compras de veículos."

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host