! Com ações de metais, Ibovespa sobe na contramão de Wall St - 21/09/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

21/09/2009 - 17h54

Com ações de metais, Ibovespa sobe na contramão de Wall St

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Uma enxurrada de recursos novos ingressou no mercado acionário paulista nesta segunda-feira, após o exercício de opções, fazendo a bolsa paulista descolar da orientação internacional negativa e fechar no azul, apoiada nos ganhos das ações de empresas de metais.

Depois de ter chegado a cair mais de 1 por cento pela manhã, o Ibovespa ganhou fôlego à tarde, para fechar valorizado em 0,37 por cento, aos 60.928 pontos.

Os 3,32 bilhões de reais do vencimento de opções sobre ações turbinaram o giro financeiro, que somou 8,65 bilhões de reais, um dos maiores do ano.

Para profissionais do mercado, alguns investidores preferiram esperar a conclusão da disputa entre comprados e vendidos pelos contratos de opções para montar suas apostas.

Passado o vencimento, às 13h30 desta segunda-feira, o mercado doméstico assumiu tendência contrária às perdas de Wall Street e das commodities como petróleo e metais.

"Entrou dinheiro de investidor que está se antecipando à possível elevação do rating do Brasil pela Moody's", disse o analista Pedro Galdi, da SLW corretora, referindo-se à previsão feita semanas atrás pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que o anúncio da agência de rating sairia este mês.

O setor doméstico que mais se beneficiou da entrada de recursos internacionais foi o de metais, apesar do desempenho das commodities no exterior. O movimento foi capitaneado pelo papel preferencial da Vale, que subiu 1,8 por cento, para 36,10 reais.

Na ponta de cima, a BRF Foods subiu 4,1 por cento, para 48,75 reais. Sadia despediu-se do Ibovespa com avanço de 3,4 por cento, para 6,42 reais. A partir de terça-feira, as ações da Sadia deixam o índice e os negócios com ações das empresas do grupo serão unificados nos ativos da BRF Foods.

Pressionando o Ibovespa para baixo apareceu o setor financeiro, mesmo depois de o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, ter dito que a concessão de crédito no Brasil voltou aos níveis pré-crise. Banco do Brasil puxou o movimento, perdendo 1 por cento, a 29,50 reais.

Outro destaque negativo foi JBS, alvejado por realização de lucros após três sessões seguidas de fortes ganhos seguindo-se ao anúncio de compra da norte-americana Pilgrim's Pride e da associação com a Bertin. O papel recuou 1,7 por cento, para 8,70 reais.

O presidente da companhia, Joesley Batista, informou nesta segunda-feira que a oferta pública inicial de ações de sua subsidiária nos Estados Unidos deve ser adiada para 2010.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host