! Meirelles: crédito voltou ao nível pré-crise - 21/09/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

21/09/2009 - 18h14

Meirelles: crédito voltou ao nível pré-crise

Por Paula Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil já recuperou o patamar de concessão de crédito anterior ao aprofundamento da crise financeira internacional em setembro de 2008, disse o presidente do Banco Central Henrique Meirelles nesta segunda-feira.

De acordo com ele, nos primeiros 28 dias de agosto, a média diária estava próxima de 7 bilhões de reais.

"O crédito em reais entrou em um processo de restauração, e já voltou aos valores pré-crise", disse Meirelles, em discurso durante evento em São Paulo.

Na visão do presidente do BC, o país voltou a se descolar da crise, movimento que houve no começo da turbulência. "Em um primeiro, momento o Brasil estava naquele grupo de países que estavam 'decoupling', isto é, descasados da crise, e que, portanto, não seriam atingidos pela crise."

"Mas a crise atingiu o Brasil e atingiu muito fortemente... Nós fomos aparentemente levados de roldão pela crise mundial. Mas começamos a voltar para um novo 'decoupling', aparentemente."

De acordo com Meirelles, o Brasil entrou na crise com mais solidez e capacidade de resposta precisa, inicialmente injetando liquidez e liberando os canais de crédito, para em seguida adotar estímulos monetário e fiscal.

Ele também comentou que o país vive uma situação não muito usual no que diz respeito ao mercado de trabalho, com a taxa de desemprego inferior aos números registrados nos Estados Unidos e Europa.

"Isso nos dá tração de retomada", afirmou, destacando também o comportamento da massa salarial que seguiu crescendo durante a crise, apesar de mostrar alguma desaceleração em determinado momento.

SAÍDA DOS ESTÍMULOS

O presidente do BC citou dados sobre as operações da instituição no mercado de câmbio para mostrar que a autoridade monetária brasileira já passa por um processo de saída automática dos estímulos, com redução do seu balanço.

Segundo ele, dos 24,5 bilhões de dólares levados a leilão para linhas de crédito e ACCs, até o dia 8 de setembro, 21,1 bilhões de dólares já haviam sido pagos, "porque está sendo restaurada a oferta de crédito no exterior".

Nas operações do mercado spot, a mesma coisa, com 11,5 bilhões de dólares do total de 14,5 bilhões de dólares emprestados já devolvidos.

A jornalistas, após o evento, Meirelles também afirmou que este é "legítima" a discussão do processo de retirada dos estímulos ao consumo e endereçar o investimento.

Segundo ele, foi preciso estimular o consumo em um primeiro momento, quando não se podia falar em investimentos diante das grandes incertezas sobre as vendas.

"No momento em que se tem mais segurança sobre a demanda, que é o que está acontecendo agora, claramente é o momento de endereçar o investimento."

ELEIÇÕES

Questionado sobre sua possível filiação a algum partido para eventualmente concorrer a algum cargo político no ano que vem, Meirelles afirmou que deve tomar sua decisão até o dia 2 de outubro. O prazo limite é 3 de outubro se quiser disputar as eleições de 2010.

Sobre notícias publicadas na imprensa de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu para ele permanecer à frente do banco, Meirelles não foi conclusivo.

"É uma opinião e um pedido, que, evidentemente, eu tenho a maior consideração, maior respeito, não só por ser presidente da República, mas por ser presidente da República com esse nível de sucesso, tanto na economia quanto na aprovação e, principalmente, por ser um grande amigo pessoal."

Perguntado se Lula fez o pedido de fato para ele ficar no cargo, Meirelles respondeu: "Ele disse isso na entrevista que deu", referindo-se à declarações do presidente, como uma na semana passada, quando afirmou que "por mim, ele ficaria no Banco Central".

(edição de Alexandre Caverni)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host