! Descolamento entre Bovespa e NY endossa visão melhor de Brasil - 30/09/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

30/09/2009 - 18h03

Descolamento entre Bovespa e NY endossa visão melhor de Brasil

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O fechamento positivo da bolsa paulista na última sessão do trimestre, na contramão de Wall Street, ilustrou a distância cada vez maior do mercado acionário doméstico em relação à média internacional em 2009.

Apoiado principalmente pelas ações de bancos e de empresas ligadas a commodities, o Ibovespa cresceu 0,46 por cento, para fechar o dia marcando 61.517 pontos, nova pontuação máxima no ano em que já acumula ganho de 63,8 por cento.

O giro financeiro da sessão somou 6,1 bilhões de reais.

"O desempenho da bolsa brasileira está refletindo a visão do investidor internacional de que o Brasil está numa condição muito mais favorável no pós-crise", disse Newton Rosa, economista-chefe da SulAmérica Investimentos.

Para efeito de comparação, o índice Dow Jones da Bolsa de Nova York, mesmo após ter registrado o melhor trimestre desde 1998, acumula ganho de 10,7 por cento no ano.

O noticiário desta quarta-feira serviu em parte para ampliar a distância entre a Bovespa e Wall Street. O Dow Jones recuou 0,31 por cento. A queda inesperada da atividade no Meio-Oeste dos EUA e o aumento acima do previsto das demissões no setor privado do país empurraram o dólar para baixo.

As cotações das commodities rapidamente subiram corrigindo a perda de valor na moeda norte-americana. A cotação do petróleo deu um salto de quase 6 por cento. Os preços dos metais também avançaram.

Esse movimento levou para cima as ações das companhias mais importantes do Ibovespa. O papel preferencial da Petrobras ganhou 0,66 por cento, para 35 reais. A preferencial da Vale cresceu 0,2 por cento, a 36,60 reais.

A reação a dados positivos da economia doméstica engrossou o otimismo, como o relatório das operações de crédito, divulgado na terça-feira pelo Banco Central, mostrando aumento dos financiamentos e estabilidade na inadimplência.

Isso colocou as ações de bancos na parte de cima do índice. Bradesco liderou o movimento do setor, subindo 2,2 por cento, para 35,25 reais, seguido por Banco do Brasil, com elevação de 2,2 por cento, a 31,23 reais.

O otimismo com o Brasil teve ainda como pano de fundo o anúncio de que o Tesouro Nacional conseguiu emitir 1,25 bilhão de dólares no exterior em bônus com vencimento em janeiro de 2041, e a sondagem da indústria da FGV, mostrando que a confiança subiu 3,6 por cento em setembro sobre agosto.

De acordo com Rosa, a soma de indicadores positivos da economia doméstica deve sustentar novos ganhos do Ibovespa na reta final do ano. É o que apontou uma pesquisa realizada pela Reuters com 18 analistas, com previsão mediana de 65 mil pontos para o índice no fim de 2009.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host