! Dados dos EUA pesam, mas empresas amortecem perdas - 02/10/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

02/10/2009 - 18h25

Dados dos EUA pesam, mas empresas amortecem perdas

Por Rodrigo Campos

NOVA YORK (Reuters) - As bolsas de valores norte-americanas caíram pelo quarto dia seguido nesta sexta-feira, com números fracos sobre o mercado de trabalho do país se somando a recentes evidências de que a recuperação econômica será menos robusta que o esperado.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 0,23 por cento, para 9.487 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,46 por cento, para 2.048 pontos. O Standard & Poor's 500 perdeu 0,45 por cento, a 1.025 pontos.

A redução maior que a prevista das vagas de emprego em setembro e uma queda nos pedidos à indústria abateram segmentos economicamente sensíveis, como indústria e energia. As ações da Boeing caíram 1,4 por cento, pior desempenho entre os componente do Dow Jones.

Os preços futuros do petróleo cederam 1,2 por cento, fechando a 69,95 dólares o barril, motivando investidores a vender alguns papéis da Chevron e da Exxon Mobil, ambos em queda de 1 por cento.

O recuo nos principais índices dos Estados Unidos foi mais forte no início do dia, logo após a divulgação de uma surpreendente redução nos postos de trabalho. Os índices caíram quase 1 por cento, tocando as mínimas da sessão.

"Há uma decepção geral com os números, mas o emprego é um indicador demorado e não será surpresa para ninguém se ele for o último a se recuperar. O dado já estava precificado em sua maior parte", disse Henry Smith, vice-presidente de investimento da Haverford Trust, na Filadélfia.

Outra influência negativa foi General Electric, cujas ações caíram 3,8 por cento, após o presidente-executivo da empresa afirmar que a GE está tendo discussões sobre parcerias ou uma oferta pública inicial para a NBC Universal.

Mas um tom positivo veio depois que UBS e Morgan Stanley elevaram o preço-alvo para a Apple, que amorteceu as perdas entre os papéis de tecnologia. As ações da Apple ganharam 2,2 por cento no Nasdaq, depois que o UBS elevou para "compra" o papel da companhia e aumentou seu preço-alvo em 56 por cento, para 265 dólares.

O índice S&P de empresas de consumo subiu 0,6 por cento, sendo o único setor do indicador que terminou em alta. O segmento foi impulsionado pelo avanço de 4,2 por cento nos papéis da PepsiCo, após o Deutsche Bank melhorar o preço-alvo das ações da fabricante de refrigerantes.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host