! Dólar segue melhora externa e fecha em baixa de 0,96% - 05/10/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

05/10/2009 - 16h45

Dólar segue melhora externa e fecha em baixa de 0,96%

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O cenário otimista nos mercados internacionais e a entrada de recursos no mercado doméstico fizeram o dólar renovar nesta segunda-feira o menor valor de fechamento em mais de um ano.

A moeda caiu 0,96 por cento, a 1,762 real na venda. É a menor cotação de encerramento desde 8 de setembro do ano passado, quando terminou a 1,735 real. Na mínima do dia, o dólar chegou a ter baixa de 1,01 por cento.

"Hoje todos os fatores colaboraram: bolsas em alta, dólar (lá fora) em queda, commodities avançando. O dólar (aqui) apenas refletiu o bom humor nos mercados", disse Rodrigo Nassar, gerente de mesa financeira da Hencorp Commcor Corretora.

No começo do dia, o índice Reuters-Jefferies de commodities oscilava perto da estabilidade por causa da queda do petróleo, o que limitava a baixa do dólar no Brasil. Ao longo do dia, porém, o preço das matérias-primas ganhou força, com alta de 1,3 por cento do índice, às 16h39.

Ao mesmo tempo, a queda da divisa dos EUA no exterior se acentuou, e os índices de ações no Brasil e em Nova York aceleravam a alta para mais de 1 por cento.

O mote para o otimismo era a esperança de uma boa temporada de balanços corporativos, além de números mostrando que o setor de serviços dos EUA expandiu-se pela primeira vez desde agosto de 2008 --diminuindo o mau humor do mercado após os dados ruins do relatório de emprego na sexta-feira.

Os investidores aproveitavam o ambiente mais calmo para aplicar em ativos considerados de maior risco, como moedas de países emergentes e commodities.

Como resultado, o dólar cedia ante moedas como o rublo russo, a rúpia indiana e o rand sul-africano, bem como frente a uma cesta com as principais divisas mundiais.

O gerente de câmbio de uma importante corretora em São Paulo ressaltou também a tendência de baixa para o dólar no curto prazo, diante da perspectiva de grandes montantes de recursos advindos de ofertas de ações e de emissões de dívida.

Analistas da Corretora Santander ratificam a aposta na valorização de ativos brasileiros, entre eles a moeda nacional, citando como componente favorável para tal os bons fundamentos da economia brasileira.

"Neste cenário, não faz sentido apostar contra a valorização dos preços destes ativos, como ações e a própria moeda do país", avaliaram em relatório.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host