! Dólar sobe 0,29% com ajustes após IPO do Santander Brasil - 07/10/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

07/10/2009 - 16h26

Dólar sobe 0,29% com ajustes após IPO do Santander Brasil

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta nesta quarta-feira, refletindo ajustes de posição após o fim da maior oferta inicial de ações já realizada no Brasil.

A moeda norte-americana subiu 0,29 por cento, para 1,756 real. Na véspera, o dólar chegou a ser cotado abaixo de 1,75 real pela primeira vez desde o início de setembro.

"Depois de várias altas (do real frente ao dólar), o movimento de realização é normal", disse o operador de uma corretora nacional, que preferiu não ser identificado.

Segundo profissionais de mercado, a maior parte dos dólares para o IPO do Santander Brasil chegou na véspera, quando o volume do segmento interbancário ficou perto de 7 bilhões de dólares. O volume total do IPO da subsidiária do Santander no Brasil foi de 14,1 bilhões de reais.

Nesta sessão, o volume do mercado de câmbio era pouco maior que 2 bilhões de dólares na última hora de negócio, de acordo com informações da clearing da BM&F.

Apesar dos ajustes desta sessão, a expectativa do mercado é pela continuidade das operações e do fluxo positivo para o país, que em apenas dois dias em outubro já superava todo o valor de setembro --1,424 bilhão de dólares na parcial deste mês, segundo o Banco Central.

O próprio presidente da BM&FBovespa, Edemir Pinto, disse a jornalistas que o mercado continuará aquecido nos próximos meses, com mais dois IPOs até o fim do ano.

A alta do dólar nesta sessão acompanhou também o mercado internacional, com valorização de 0,17 por cento da moeda norte-americana em relação a uma cesta com as principais divisas. As commodities tinham queda de 0,42 por cento, segundo o índice Reuters-Jefferies, com destaque para a baixa de quase 2 por cento do petróleo.

O movimento internacional também era fruto de ajustes após a queda do dólar em todo o mundo na véspera. O apetite pelo risco, favorecido pelo aumento inesperado do juro na Austrália, diminuía e prejudicava também as bolsas, que exibiam baixa.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host