! PIB da zona do euro é revisto para baixo no 2o trimestre - 07/10/2009 - Reuters - Economia
UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

07/10/2009 - 12h09

PIB da zona do euro é revisto para baixo no 2o trimestre

Por Jan Strupczewski

BRUXELAS (Reuters) - A economia da zona do euro se retraiu mais que o esperado no segundo trimestre, com a demanda privada e o comércio mais fracos que o estimado anteriormente, mas ainda deve voltar ao crescimento no terceiro trimestre.

O Eurostat, escritório de estatísticas da União Europeia, informou nesta quarta-feira que o Produto Interno Bruto (PIB) dos 16 países da região caiu 0,2 por cento entre abril e junho na comparação trimestral e 4,8 por cento em termos anuais.

Relatório anterior apontava queda de 0,1 por cento entre os trimestres e de 4,7 por cento na relação anual. Economistas ouvidos pela Reuters esperavam que a Eurostat confirmasse essas estimativas divulgadas anteriormente.

"A modesta revisão para baixo no PIB da zona do euro... não muda significativamente o quadro", disse Howard Archer, economista na Global Insight.

"Ainda indica que a economia da zona do euro estava perto de se estabilizar no segundo trimestre após um ano de profunda contração, e ainda parece provável que a região tenha voltado ao crescimento no terceiro trimestre, ainda que modesto."

A queda de estoques foi levemente menor que a relatada inicialmente. Esse recuo tirou 0,6 ponto percentual do resultado total do segundo trimestre, ante 0,7 ponto informado antes.

Além disso, a contribuição dos gastos do governo foi maior, de 0,2 ponto percentual, frente a informação anterior de apenas 0,1 ponto, mostrando os efeitos positivos dos pacotes de estímulo econômico.

Mas isso foi mais que ofuscado por uma revisão para baixo nas contribuições positivas da demanda privada e do comércio.

A demanda dos consumidores teve impacto zero ao invés de contribuição positiva de 0,1 ponto e o comércio acrescentou apenas 0,5 ponto percentual, ante 0,7 ponto da divulgação anterior.

"No geral, esse relatório é um pouco mais negativo, mas não muda o quadro. Muito provavelmente a economia voltou a crescer no terceiro trimestre", comentou Nick Kounis, economista no Fortis Bank.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host