UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/10/2009 - 10h46

Associação Mundial de Aço vê recuperação da demanda em 2010

Por Alfred Cang e Tom Miles

PEQUIM (Reuters) - O consumo global de aço irá se recuperar em mais de 9 por cento em 2010, melhorando após a queda de 8,6 por cento este ano, que não foi tão ruim como o esperado graças ao forte crescimento chinês, afirmou uma associação global nesta segunda-feira.

A China, que contribuiu com cerca de metade da produção global, verá seu consumo aparente subir 18,8 por cento, para 526 milhões de toneladas este ano, afirmou a Associação Mundial de Aço nesta segunda-feira. A entidade esperava anteriormente que a demanda chinesa caísse 5 por cento.

Em abril, o grupo previa que o consumo global aparente -- que não faz qualquer ajuste para possíveis mudanças nos níveis dos estoques-- caísse 14,1 por cento em 2009.

"A recuperação global está mais forte que o previsto em abril. Segundo nossa nova previsão, a China irá se recuperar em 19 por cento em 2009 e 5 por cento em 2010", apontou Daniel Novegil, presidente do conselho do Comitê Econômico Mundial de Aço, em comunicado.

"As economias emergentes irão desacelerar 17 por cento em 2009, mas crescerão 12 por cento em 2010. O uso aparente de aço nos países em desenvolvimento, que se contraiu 34 por cento em 2009, irá se recuperar em 15 por cento em 2010. Além disso, a associação prevê que a demanda global de aço voltará a crescer em 2010.

A demanda global subirá 9,2 por cento, para 1,206 bilhão de toneladas no próximo ano, ante 1,104 bilhão de toneladas este ano, estimou o grupo em suas previsões.

Mas analistas levantaram preocupações sobre a sustentabilidade do crescimento inesperado da China, questionando quanto disso é demanda especulativa contra uso real.

O vice-secretário geral e analista da indústria para a Associação Chinesa de Aço e Ferro (Cisa, na sigla em inglês), afirmou que a perspectiva de demanda para a China pode ser superestimada devido à falta de considerações sobre os inventários do país.

Alguns analistas temem que a posição da China nas negociações anuais sobre o preço do minério de ferro com as mineradoras possa enfraquecer mais no próximo ano à medida que a produção das usinas siderúrgicas atinja seu limite.

O secretário geral da Cisa, Shan Shangua, afirmou que a entidade vê o fornecimento global de minério de ferro excedendo a demanda em 2010 conforme a produção de aço gradativamente se recuperar.

Analistas afirmam ainda que as entregas de minério de ferro à China podem cair no resto do ano uma vez que as grandes mineradoras incluindo a Vale, Rio Tinto e BHP Billiton priorizarão clientes que firmaram acordos anuais oficiais.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host