UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/10/2009 - 12h36

China amplia prazo de investigação sobre empregados da Rio Tinto

XANGAI (Reuters) - A China estendeu por um mês as investigações sobre suposta espionagem industrial que teria sido praticada por quatro funcionários da mineradora Rio Tinto, disse nesta segunda-feira um advogado de defesa, em um caso que colocou sob tensão os relacionamentos entre Austrália e seu segundo maior parceiro comercial.

Os quatro funcionários, incluindo o cidadão australiano Stern Hu, foram detidos por suspeitas de roubar segredos de Estado pouco antes do prazo final para a conclusão das negociações entre siderúrgicas chinesas e as três maiores mineradoras do mundo, Rio Tinto, BHP Billiton e Vale.

A extensão do prazo da investigação veio a pedido do departamento de segurança pública, disse Zhang Peihong, um advogado de Wang Yong, membro da equipe da Rio Tinto baseada em Xangai.

Um executivo do alto escalão da Shougang Steel em Beijing também foi detido e diversos outros executivos de siderúrgicas chinesas foram investigados, em uma iniciativa que é vista por muitos como uma tentativa da Associação de Ferro e Aço da China (Cisa, na sigla em inglês) de controlar o pulverizado setor naquele país.

O caso alarmou a comunidade internacional de investidores e instaurou um debate sobre a lei de segredos de Estado da China, que pode ser aplicada a uma série de informações qualificadas como sensíveis.

(Reportagem de Alfred Cang e Lucy Hornby)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host