UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/10/2009 - 10h32

OGX estima até 1,5 bilhão de barris em poço de Campos

(Texto atualizado às 12h28)

SÃO PAULO, 14 de outubro (Reuters) - A OGX, empresa de petróleo e gás controlada por Eike Batista, anunciou nesta quarta-feira que o poço OGX-1, localizado no bloco BM-C-43 em águas rasas da Bacia de Campos, tem um volume estimado de óleo recuperável entre 500 milhões e 1,5 bilhão de barris.

A OGX detém 100% de participação nesse bloco, cuja constatação de óleo já havia sido anunciada na semana passada.

Após o anúncio, os papéis da empresa chegaram a subir 3,2% no pregão da Bolsa paulista. Mas, ainda no final da manhã, as ações perderam força.

Às 12h10, OGX caía 4,2%, para R$ 1.555. Segundo o assessor de investimentos da InTrader, Renato Tavares, parte dos investidores está aproveitando o momento para realizar lucro com os papéis, que acumulavam alta superior a 200% no ano, justamente em meio a expectativas de novidades positivas da companhia.

De acordo com o comunicado enviado à imprensa, a perfuração do poço, localizado na parte sul da bacia de Campos, já foi finalizada e atingiu uma profundidade de 2.347 metros.

Como resultado da perfuração, iniciada no dia 17 de setembro, foi encontrada uma coluna total de óleo superior a 200 metros. O poço está a aproximadamente 85 quilômetros da costa do Estado do Rio de Janeiro, onde a lâmina d'água é de aproximadamente 140 metros.

"Este excelente resultado revela o grande potencial petrolífero dos nossos blocos, além de contribuir para a redução do risco exploratório dos próximos prospectos a serem perfurados na região", disse Paulo Mendonça, diretor-geral da OGX, segundo o comunicado.

A OGX parte agora para a perfuração do poço OGX-2, localizado no bloco BM-C-41, em águas rasas da parte sul da bacia de Campos, prevista para a segunda metade de outubro com o deslocamento da sonda Ocean Ambassador.

No início do mês, a OGX informou que encontrou indícios de hidrocarbonetos no bloco BM-S-29, localizado em águas rasas da bacia de Santos, mas ainda não há estimativa de volume.

Esse bloco faz parte da concessão em que a OGX detém 65% de participação e a operadora Maersk Oil tem fatia de 35%.

A empresa possui um total de 29 blocos no país, sendo 22 no mar e sete em terra.

(Por Camila Moreira; reportagem adicional de Aluísio Alves; Edição de Alexandre Caverni)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host