UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/11/2009 - 15h09

Ações europeias sobem amparadas por dados dos EUA

Por Brian Gorman

LONDRES, 4 de novembro (Reuters) - As bolsas de valores da Europa fecharam em alta nesta quarta-feira, puxadas pelo setores financeiro e automotivo, em linha com mais evidências de uma recuperação econômica nos Estados Unidos antes do comunicado do Federal Reserve às 17h15.

O índice FTSEurofirst 300, que mede o desempenho das principais ações do continente, subiu 1,6 por cento, a 984 pontos, mais do que recuperando as perdas da última sessão.

O indicador avançou mais de 52 por cento desde que tocou a mínima recorde no início de março.

O setor bancário foi o que mais contribuiu para o índice. Société Générale ganhou 4,6 por cento, impulsionado por uma sólida performance no terceiro trimestre de sua divisão de bancos varejistas na França e por mais especulações de acordos.

Barclays, Banco Santander, BNP Paribas, HSBC e UBS cresceram entre 1,2 e 4,2 por cento.

Espera-se que o Fed reafirme sua intenção de manter o juro básico norte-americano em níveis muito baixos por um longo tempo, com o objetivo de dar suporte à economia, mesmo com sinais de recuperação se multiplicando.

Dois dados ajudaram a alimentar a confiança na economia dos EUA. O setor de serviços norte-americano cresceu em outubro pelo segundo mês consecutivo, embora num ritmo mais lento que o esperado.

Companhias dos Estados Unidos cortaram postos de trabalho no menor ritmo em mais de um ano, sugerindo alguma estabilização no mercado de trabalho à medida que a economia sai da recessão, mostrou um relatório.

Os empregadores privados dos EUA extinguiram 203 mil empregos em outubro, menos que as 227 mil vagas perdidas em setembro, segundo a ADP Employer Services. O dado de setembro apontava inicialmente o corte de 254 mil postos de emprego.

"As ações estão num bom momento", disse Jeremy Batstone-Carr, analista da Charles Stanley. "As taxas de juro estão baixas. Aparentemente está havendo crescimento, e os investidores consideram essa uma boa hora para aplicarem em ativos de maior risco."

"Mas eles estão numa corda bamba. Um pode dizer que os ganhos de hoje tiveram base nas palavras 'período maior' em relação à sustentação por parte do Fed de sua política de afouxamento monetário.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 1,4 por cento, a 5.107 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,7 por cento, para 5.444 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 2,4 por cento, para 3.670 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização 2 por cento, para 22.385 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 avançou 1,29 por cento, para 11.387 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em alta 1,72 por cento, para 8.420 pontos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host