UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

07/11/2009 - 09h51

Problemas no câmbio são sintoma e não causa, diz membro do FMI

Por David Milliken

SAINT ANDREWS, Escócia (Reuters) - A reunião de líderes da área de finanças do G20 não deve se concentrar nos níveis de taxas de câmbio, já que elas são um sintoma dos problemas da economia e não a causa, avaliou no sábado o chefe de um comitê do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O ministro egípcio de Finanças, Youssef Boutros-Ghali, que comanda o comitê internacional de políticas monetária e financeira do Fundo, também afirmou que as propostas do Brasil de taxação sobre o fluxo de capital têm pouca chance de ser eficaz.

"Não deveríamos nos concentrar nas taxas de câmbio. Embora sejam importantes e tenham impacto significativo e muito rápido nos vários fluxos financeiros, devem ser vistas como sintoma de um desarranjo mais profundo", avaliou.

Boutros-Ghali indicou que não espera grandes avanços na cúpula do G20. "O tema do clima está na mesa, ainda que não tenha sido discutido ontem à noite. Mas eu não acho que ninguém espera um grande avanço."

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host