UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/11/2009 - 11h13

Ásia lidera recuperação global, diz OCDE

Por Brian Love

PARIS (Reuters) - A Ásia está liderando a recuperação mundial, mas a retomada é brecada pelo desemprego e pelas elevadas dívidas dos governos nos países industrializados, avaliou a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nesta quinta-feira.

As autoridades das economias ocidentais devem preparar para uma saída gradual dos patamares recordes de baixa dos juros e das políticas fiscais expansionistas quando a recuperação estiver mais forte.

A OCDE elevou sua previsão para o crescimento econômico global em 2010, para 3,4 por cento ante prognóstico de 2,3 por cento feito em junho. Para 2009, a estimativa é contração de 1,7 por cento.

"Estamos vendo um cenário no qual o desastre foi evitado, mas ainda estamos vendo um cenário que envolve crescimento lento e desemprego alto", disse o economista-chefe da entidade, Jorgen Elmeskov, em entrevista à televisão Reuters.

Em seu relatório de previsões, a OCDE reduziu o ritmo da queda neste ano e aumentou, de forma geral, as estimativas para o crescimento em 2010.

A previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano é de alta de 2,5 por cento em 2010 e de 2,8 por cento em 2011, após contração de 2,5 por cento em 2009.

O cenário para a zona do euro aponta crescimento de 0,9 por cento em 2010 e de 1,7 por cento em 2011, seguindo uma queda de 4 por cento em 2009.

O Japão deve crescer 1,8 por cento em 2010 e 2 por cento em 2011, depois de cair 5,3 por cento neste ano.

A previsão para a economia mundial --que inclui os países membros da OCDE mais Brasil, China, Índia e Rússia-- é de expansão de 6 por cento em 2010 e de 7,7 por cento em 2011, após declínio de 12,5 por cento em 2009.

Para a China, a entidade estima um crescimento de 10,2 por cento no ano que vem, devido em grande parte aos estímulos do governo que garantirão uma expansão de 8,3 por cento neste ano.

A Índia, que deve passar pela crise com um avanço do PIB de 6,1 por cento em 2009, deve crescer 7,3 por cento em 2010 e ainda mais, 7,6 por cento, em 2011.

O Brasil deve crescer 4,8 por cento em 2010 e 4,5 por cento em 2011, após mostra estabilidade neste ano.

DÍVIDA E DESEMPREGO

A dívida bruta dos países da OCDE pode, em média, exceder o PIB em 2011, previu o organismo.

"Parar a deterioração é claramente necessário e pedirá uma consolidação fiscal que é significativa na maioria dos casos e drástica em alguns", disse a OCDE.

A OCDE previu ainda que o desemprego na região aumente de 8,2 por cento em 2009 para 9 por cento em 2010, para depois cair a 8,8 por cento em 2011.

O desemprego nos Estados Unidos deve subiu de 9,2 por cento em 2009 para 9,9 por cento em 2010 e cair para 9,1 por cento em 2011. Na zona do euro, ele deve aumentar de 9,4 por cento neste ano para 10,6 por cento em 2010 e para 10,8 por cento em 2011.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host