UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/11/2009 - 07h54

Índice acionário asiático cai por dúvidas sobre recuperação

Por Kevin Yao e Kevin Plumberg

HONG KONG, 19 de novembro (Reuters) - O índice que reúne bolsas da Ásia operava em queda nesta quinta-feira, pressionado por dúvidas sobre o ritmo da recuperação econômica. Enquanto isso, a rúpia na Indonésia e na Índia caíram depois da decisão do Brasil de taxar ADRs, o que gerou preocupações sobre mais medidas governamentais para contenção de fluxos de capitais.

Depois de valorização de quase 70 por cento nas bolsas da Ásia até agora neste ano, investidores estão propensos a realizar lucros antes do fim do ano.

O cenário também era afetado por dados de construção de moradias nos Estados Unidos, que em outubro ficaram no menor patamar em seis meses, e por notícia nessa semana que o maior banco do Japão, o Mitsubishi UFJ Financial Group, vai ter de levantar 11 bilhões de dólares em novas ações para cumprir requerimentos mais exigentes de capital.

"Com aumentos de capital, valorização do iene e política, existem três motivos para aborrecimento", afirmou Tomomi Yamashita, gerente de fundos do Shinkin Asset Management.

O índice MSCI que reúne bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão perdia 0,6 por cento às 7h49 (horário de Brasília), a 411 pontos, mas ainda segue perto do maior patamar em 15 meses alcançado na terça-feira.

Temores do mercado sobre possíveis medidas para contenção de fluxos de capitais pela Indonésia acabaram perdendo força depois que o banco central do país minimizou ainda na quarta-feira a ameaça de imposição de controles imediatos, mas a confiança dos investidores foi afetada pela decisão do Brasil.

Taiwan proibiu investidores estrangeiros de investir em depósitos à vista e a Coréia do Sul anunciou medidas nesta quinta-feira para aumentar controles sobre a liquidez da moeda para tornar o sistema bancário menos vulnerável à fuga de capitais.

Mas analistas acreditam que a maior parte dos países da Ásia vai evitar medidas duras para controlarem fluxos de dinheiro. Apesar disso, a avaliação é que calafrios nos mercados podem continuar.

"Poucas coisas assustam mais um investidor estrangeiro que pensar que as regras poderão mudar depois que investiram e que não poderão acessar seus recursos facilmente", disse Sean Callow, estrategista do Westpac.

A bolsa de SEUL subiu 1,03 por cento, TÓQUIO recuou 1,32 por cento e HONG KONG perdeu 0,86 por cento. XANGAI avançou 0,53 por cento, TAIWAN teve ligeira queda de 0,09 por cento e CINGAPURA encerrou com alta de 0,5 por cento. SYDNEY fechou valorizada em 0,22 por cento.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host