UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

23/11/2009 - 15h24

Índice europeu fecha em alta por dados dos EUA e bancos

LONDRES (Reuters) - As ações europeias tiveram seu maior ganho diário em mais de cinco semanas nesta segunda-feira, com dados melhores que o previsto sobre o mercado imobiliário norte-americano aumentando o otimismo com a economia. O movimento foi fortalecido pelo bom desempenho de ações dos setores bancário e de matérias-primas.

O índice FTSEurofirst 300, que mede a oscilação dos principais papéis do continente, fechou em alta de 1,98 por cento, a 1.022 pontos, maior ganho diário desde 14 de outubro.

O indicador recuperou mais da metade das perdas que sofreu diante do recuo nas quatro sessões anteriores. O índice acumula valorização de mais de 58 por cento desde que tocou a mínima recorde no início de março.

Uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira mostrou que as vendas de casas usadas nos Estados Unidos subiram mais que o esperado em outubro, no ritmo mais rápido em 2 anos e meio, à medida que compradores correram para aproveitar um crédito tributário.

A Associação Nacional de Corretores de Imóveis dos EUA informou que as vendas dispararam 10,1 por cento a uma taxa anual de 6,1 milhões de unidades, maior nível desde fevereiro de 2007, ante o dado revisado para baixo de 5,54 milhões em setembro.

"Há otimismo com a economia depois dos números imobiliários dos EUA", disse Heinz-Gerd Sonnenschein, estrategista-chefe de mercado de ações do Postbank, em Bonn.

"Os mercados podem se valorizar mais ainda a partir daqui, mas não muito até que os bancos centrais comecem a apertar a política monetária."

O setor bancário foi sustentado por dados macroeconômicos positivos e pelo comentário do presidente do Federal Reserve de St Louis, James Bullard, o qual disse que o banco central norte-americano deve manter em prática seu programa de compra de ativos lastreados a hipotecas além da data marcada para encerrá-lo, com o objetivo de dar aos formuladores de política mais flexibilidade.

Os papéis de BNP Paribas, Santander, Barclays, Credit Suisse e HSBC subiram mais de 3 por cento cada.

As ações do Lloyds Banking Group ganharam 3,8 por cento. O banco informou que a demanda por sua troca de bônus de 8,78 bilhões de libras (14,52 bilhões de dólares) está forte, indicando possível apetite por sua emissão de dívida recorde, que deve ser precificada na terça-feira.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 1,98 por cento, a 5.355 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 2,44 por cento, para 5.801 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 2,25 por cento, a 3.813 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,98 por cento, para 22.956 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 avançou 1,89 por cento, para 11.940 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em alta de 1,07 por cento, para 8.532 pontos.

(Por Brian Gorman)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host