UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/11/2009 - 13h36

Petrobras terá nova fábrica de fertilizantes no MS, diz ministro

BRASÍLIA (Reuters) - A Petrobras apresentou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministros nesta terça-feira seus projetos para a área de fertilizantes, informou o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, que previu para daqui a 15 dias nova reunião com o objetivo de discutir o marco regulatório para exploração de potássio.

Segundo ele, a estatal fará uma nova planta em Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, e tem projetos também para Linhares, no Espírito Santo, e em Sergipe, onde já possui uma fábrica de ureia.

"O governo está extremamente preocupado em tratar de uma questão estratégica que é o setor de fertilizantes, que como todos sabem somos altamente dependentes das importações, somos vulneráveis nessa questão", afirmou o ministro a jornalistas em um intervalo da reunião na qual também participaram a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli.

"O primeiro projeto em Três Lagoas já está todo planejado, mas nós já estamos com todas as plantas, seriam três plantas", disse o ministro sem dar detalhes.

O ministro lembrou que o Brasil importa 71% dos fertilizantes que precisa e, com os projetos da Petrobras, "chegaremos praticamente à autossuficiência", informou.

"O Brasil tem jazidas suficientes, temos que apenas explorar as que já temos e explorar outras e fechar um marco regulatório sobre o potássio", ressaltou, sem deixar claro se o marco estaria vinculado ao marco geral do setor de mineração, em estudo no momento no Ministério de Minas e Energia.

A Petrobras saiu da exploração de potássio na década de 1980 e arrendou uma mina que possui em Sergipe para a Vale. Outra mina de potássio da estatal, em Nova Olinda, no norte do Amazonas, teve uma tentativa frustrada de arrendamento, sem nenhum concorrente.

Em entrevista à Reuters em setembro, o diretor do departamento de fertilizantes e minerais industriais da Vale, Ruben Fernandes, disse que chegou a analisar a mina de Nova Olinda da Petrobras, mas que vê dificuldades operacionais por sua localização e características.

Amônia e ureia

Segundo Stephanes, a Petrobras apresentou a Lula e aos ministros o projeto da nova fábrica de amônia e uréia, usados na fabricação de fertilizantes no Mato Grosso do Sul, em Três Lagoas, que vai se juntar às unidades da Bahia e Sergipe.

A empresa produz ureia nas fábricas de fertilizantes nitrogenados do Pólo Petroquímico de Camaçari (BA) e do município de Laranjeiras (SE). A amônia produzida pela companhia é gerada a partir do gás natural nas mesmas fábricas.

O ministro informou que a Petrobras ainda terá que aprovar a nova fábrica no seu Conselho de Administração e não informou qual seria o tamanho do projeto.

De acordo com entrevista à Reuters em abril, a nova fábrica terá capacidade para produzir 1 milhão de toneladas por ano e o custo do projeto, que será totalmente da estatal, será de 2 bilhões de dólares.

(Texto de Denise Luna)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host