UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/11/2009 - 12h00

Cerca de 40 usinas do CS vão moer cana na entressafra

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Aproximadamente 40 usinas de açúcar e álcool do centro-sul do Brasil, ou cerca de 15 por cento do total, seguirão moendo cana de janeiro a março de 2010, período em que normalmente as unidades param para manutenção, afirmou nesta quinta-feira Antônio de Pádua Rodrigues, diretor técnico da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar).

A ampla disponibilidade de cana ainda nos campos --após chuvas em excesso terem reduzido o tempo disponível para moagem durante o ano--, e a necessidade de algumas empresas em fazer caixa são os principais motivos para a moagem contínua, afirmou Pádua à Reuters antes de participar de um evento em São Paulo.

Como muitas das usinas que vão seguir moendo na entressafra são unidades recém-inauguradas, elas deverão produzir mais etanol que açúcar.

"São unidades novas, que começaram a processar depois, algumas em outubro, ou as que possuem ainda muita cana em pé. Também as que possuem maior necessidade de caixa", disse Pádua.

"Muitas empresas aproveitaram os períodos de chuva e foram fazendo ajustes (manutenção). As que continuarem, farão paradas mais para frente, depois de março", acrescentou o diretor da Unica.

A maioria do restante das usinas do CS, segundo ele, deverá moer até o dia 23 de dezembro, parando posteriormente para manutenção durante o período tradicionalmente mais chuvoso do ano.

Até o momento, 2 ou 3 por cento das cerca de 380 unidades na região já encerraram a moagem da safra 2009/10.

O cenário de preços do setor sucroalcooleiro estimula usinas que estão tecnicamente aptas a prosseguir com a moagem durante o verão.

O açúcar está perto de um nível recorde de preço no mercado internacional e o etanol subiu bastante nos últimos meses no mercado brasileiro, devido à preferência de muitas usinas em destinar mais cana para o açúcar e também pelo aumento da frota de veículos flex do Brasil.

Mas Pádua não vê muita mudança no balanço de oferta e demanda do setor pelo fato da operação contínua de 40 usinas.

"Vai ter oferta adicional (de produtos de cana). Ajuda a complementar a oferta, mas não serão 10 milhões de toneladas de cana que farão grande diferença em uma safra de mais de 500 milhões de toneladas", declarou.

A estimativa de 10 milhões de toneladas para a moagem fora de época é baseada em experiência semelhante no ano passado, quando um número parecido de usinas seguiu moendo na entressafra.

Isso ocorrerá se o verão não for excessivamente chuvoso, salientou Pádua.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host