UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/11/2009 - 09h18

Bernanke: auditoria no Fed prejudicaria perspectivas de retomada

Por Mark Felsenthal

WASHINGTON (Reuters) - O chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, afirmou na sexta-feira que as propostas do Congresso para auditar o Fed e retirar do banco central norte-americano poderes regulatórios como parte das reformas pós-crise poderiam prejudicar as perspectivas para a recuperação econômica e a estabilidade financeira.

"Essas medidas estão muito fora do consenso global sobre o papel apropriado dos bancos centrais e elas enfraqueceriam seriamente as perspectivas para a estabilidade econômica e financeira nos Estados Unidos", escreveu Bernanke em um artigo publicado no site do Washington Post.

A publicação incomum de um artigo de um chairman do Fed vem pouco antes de Bernanke passar por uma sabatina em comitê do Senado para confirmar sua indicação para um segundo período de quatro anos à frente do banco central norte-americano e responde a uma série de medidas do Congresso que podem diminuir o papel do banco.

Os parlamentares estão irritados com o Fed devido aos seus pacotes de emergência para instituições financeiras e à sua incapacidade de prevenir o contágio de inadimplências em hipotecas que abalou o sistema financeiro.

Uma proposta de auditoria das deliberações de política monetária do Fed foi aprovada pelo comitê recentemente apesar das objeções do presidente do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos Deputados, Barney Frank.

O colega de Senado de Frank, o presidente do Comitê Bancário, Christopher Dodd, é o autor de uma proposta para reduzir o papel do Fed à apenas a decisão de estabelecer as taxas básicas de juros.

Em seu artigo, Bernanke reconheceu que o Fed não percebeu o comportamento de alto risco de instituições financeiras que levou a crise. Mas ele disse que o Fed tinha ajudado a evitar uma depressão econômica ainda mais profunda e aumentou as suas ações sobre o sistema financeiro."

"O Fed teve um grande papel em controlar a crise, e nós deveríamos estar buscando preservar, não degradar, a capacidade da instituição de garantir a estabilidade financeira e de promover a recuperação econômica sem inflação", disse ele.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host