UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

30/11/2009 - 07h50

Bolsas da Ásia voltam a avançar, mas de olho em Dubai

Por Umesh Desai

HONG KONG (Reuters) - As bolsas da Ásia se recuperaram depois da acentuada queda da semana passada provocada pela crise de dívida de Dubai. A avaliação de que os efeitos de um potencial calote serão limitados foi reforçada com uma série de garantias de autoridades que ajudaram a acalmar os nervos dos investidores.

As ações do setor bancário, que enfrentaram a maior parte do movimento de venda da sexta-feira, lideraram os ganhos nesta segunda-feira.

"Eu creio que vai dar tudo certo. No final do dia Dubai e Abu Dhabi precisam um do outro. E haverá muita pressão de países vizinhos sobre Abu Dhabi para ajudar", afirmou o gerente de fundos Mark Mobius, da Templeton Asset Management, à Reuters.

As ações em Hong Kong, que sofreram a maior perda diária em oito meses na sexta-feira, e o mercado acionário de Tóquio, que encerrou no menor nível em quatro meses na semana passada, registraram os maiores ganhos na região nesta segunda-feira.

A bolsa de TÓQUIO subiu 2,91 por cento, a 9.435 pontos. O mercado em HONG KONG disparou 3,25 por cento, a 21.821 pontos.

O índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 2,68 por cento às 7h46 (horário de Brasília), a 402 pontos. Enquanto isso, o indicador Thomson Reuters de ações regionais avançava 2,47 por cento.

No entanto, ações nos Emirados Árabes Unidos, sendo negociadas pela primeira vez desde o pedido de adiamento de pagamento de bilhões de dólares em dívida, afundavam 7,3 por cento em Dubai e 8,24 por cento em Abu Dhabi.

No domingo, os Emirados Árabes Unidos ofereceram apoio emergencial a bancos para reduzir temores nos mercados financeiros, apesar de analistas afirmarem que a medida de injeção de liquidez nos bancos de Dubai pelo banco central, junto com promessas de apoio de Abu Dhabi, representaram o mínimo que poderiam fazer.

Em Seul, o vice-ministro de Finanças Hur Kyung-wook, afirmou que o governo manterá um sistema de monitoramento diário até que o inicidente de Dubai seja resolvido. A bolsa de SEUL fechou subiu 2,04 por cento, para 1.555 pontos.

O movimento de alta dos mercados além dos bancos, foi liderado também por papéis do setor de construção, que foram os maiores perdedores na semana passada depois que investidores reduziram exposição aos setores mais vulneráveis à incerteza econômica.

As ações do HSBC, maior banco da Europa e detentor da maior exposição aos Emirados Árabes Unidos, subiram 4,25 por cento depois de terem caído 7,59 por cento na sexta-feira.

XANGAI avançou 3,2 por cento, CINGAPURA recuou 1,09 por cento e TAIWAN teve valorização de 1,22 por cento. SYDNEY teve ganho de 2,83 por cento.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host