UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/12/2009 - 09h44

Produção industrial recua no ano, mas tem 10ª alta mensal consecutiva

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A produção industrial brasileira cresceu em outubro na comparação com o mês anterior, mostrando uma melhora generalizada entre os setores, destacando-se a atividade de automóveis e bom desempenho de bens de capital. Em mais um sinal positivo, o dado de setembro foi significativamente revisto para cima.

A produção da indústria brasileira cresceu 2,2% em outubro sobre setembro, a décima alta consecutiva, e declinou 3,2% ante igual mês de 2008, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira. A taxa anual está em queda há 12 meses, mas em outubro teve o menor recuo desse período de um ano.


Analistas consultados pela Reuters previam uma alta mensal de 2,1% e uma queda anual de 3,7%.

"Com o avanço de 2,2% observado no total da indústria entre setembro e outubro, o patamar de produção do setor ficou 5,7% abaixo do nível recorde atingido em setembro de 2008. Esse aumento no ritmo de atividade em outubro foi disseminado entre os setores industriais, atingindo 21 dos 27 ramos pesquisados", afirmou o IBGE em comunicado.

Os destaques de alta entre esses setores foram Veículos automotores (11,2%), Alimentos (3%), Bebidas (4%) e Metalurgia básica (2,6%).

Entre as categorias de uso, mês a mês as maiores taxas de crescimento foram de bens de capital e de bens de consumo duráveis, ambos com 5,9%, seguidos por bens de consumo semi e não duráveis, com 1,3%, e bens intermediários, com 1,2%.

"Vale destacar o comportamento de bens de capital, que há dois meses avança em ritmo superior ao incremento médio de 2,8% observado de abril a outubro", disse o IBGE.

Na comparação com outubro de 2008, 18 dos 27 setores tiveram declínio da produção, sendo os destaques negativos Máquinas e equipamentos (-13,7%) e Metalurgia básica (-10,3%).

Nas categorias de uso, bens de consumo duráveis registrou a única alta, de 2,8% ano a ano, interrompendo doze meses de queda. A atividade de bens de capital teve a maior queda, de 16,8%, seguida por bens de consumo semi e não duráveis, com recuo de 0,7%, e por bens intermediário, com baixa de 2,5%.

"Cabe ressaltar que a diferença de dois dias úteis a menos em outubro de 2009 tem impacto sobre a categoria de bens de consumo", afirmou o IBGE.

Média Móvel

O indicador de média móvel trimestral subiu 1,8% em outubro sobre setembro, mesma taxa apurada no mês anterior.

"O desempenho positivo da atividade industrial em outubro confirmou a trajetória ascendente do índice de média móvel trimestral observada nos últimos oito meses", segundo o instituto.

No acumulado do ano, a atividade industrial registra queda de 10,7% e nos últimos 12 meses tem recuo de 10,6%.

O IBGE revisou para cima o dado de atividade em setembro, de uma alta inicialmente divulgada de 0,8% sobre agosto para expansão de 1,8%.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host