UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

21/12/2009 - 10h27

Opep não vai alterar metas de produção, diz secretário

Por Henrique Almeida e Alex Lawler

LUANDA (Reuters) - Produtores da Opep devem manter inalteradas as metas de produção em uma reunião na terça-feira, mas devem exigir maior adesão aos atuais cortes.

"Para esta reunião, sem alterações", disse a repórteres o secretário-geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, Abdullah al-Badri. "Existe o consenso de que não há alterações".

"Se você observar o preço, é bastante confortável. Se você observar os fundamentos, os estoques estão em alta. Temos que trabalhar para reduzi-los a níveis razoáveis".

A Opep não precisou alterar suas cotas de redução desde que diminuiu a oferta no final do ano passado para reverter uma queda de preço, já que a economia mundial entrou em recessão.

O contrato referencial do petróleo nos Estados Unidos era negociado por volta das 9h30 (horário de Brasília) com alta de 0,20 dólar, a 73,56 dólares o barril. Ele chegou a ficar brevemente abaixo de 70 dólares na semana passada.

A Opep não tem uma meta oficial de preço, mas vários países, incluindo o pricipal produtor Arábia Saudita, afirmam que 75 dólares é um preço justo tanto para consumidores quanto produtores.

A única questão para os ministros na reunião deve ser o grau de adesão aos cortes existentes, que se enfraqueceu nos últimos meses, permitindo a entrada de mais petróleo no mercado.

"Nós gostaríamos de ver sempre uma adesão melhor", disse o ministro do petróleo dos Emirados Árabes Unidos, Mohammed bin Dhaen al-Hamli. Atualmente a adesão é de cerca de 60 por cento para a restrição de 4,2 milhões de barris por dia definida pelo cartel no final do ano passado.

(Reportagem adicional de Barbara Lewis e Simon Webb)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host