UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

22/12/2009 - 13h19

Bernardo diz mínimo que R$ 510 depende de aprovação de Lula

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, evitou confirmar nesta terça-feira o novo valor do salário mínimo, afirmando apenas que 510 reais é uma possibilidade que será levada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Nós vamos levar para o presidente um cenário onde esta é uma possibilidade", disse Bernardo a jornalistas ao chegar ao Ministério da Fazenda para uma reunião com o ministro Guido Mantega.

A proposta de 510 reais para o mínimo a partir de 1o de janeiro de 2010 já consta do novo projeto de Orçamento da União para 2010 que deve ser votado nesta terça pelo Congresso. O projeto previa salário mínimo de 505,55 reais, valor que foi elevado para 507 reais e depois para 510 reais.

Frente ao salário atual de 465 reais, são 9,68 por cento de reajuste nominal.

Bernardo explicou que, apesar do impacto maior nas contas do governo, o valor deve ser arredondado de 507 para 510 reais para facilitar a retirada nos caixas eletrônicos, que não prevêem notas miúdas.

Se o valor for aprovado pelo presidente Lula, serão mais 600 milhões de reais nas contas governamentais em relação aos 507 reais. "Temos recursos", disse o ministro. O impacto do mínimo se dá nas contas da Previdência Social.

(Reportagem de Ana Paula Paiva)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host