UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/01/2010 - 18h35

Sem NY, Ibovespa retoma 69 mil pontos com exercício de opções

Por Paula Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O exercício de opções equilibrou a ausência de Wall Street e garantiu volume razoável à bolsa de valores brasileira nesta segunda-feira. Petrobras e Vale sustentaram a trajetória positiva, amparadas na alta das commodities.

O Ibovespa fechou com elevação de 0,61 por cento, a 69.400 pontos.

O giro financeiro do pregão --inflado pelo vencimento de opções-- somou 9,8 bilhões de reais. Apenas o exercício movimentou volume recorde de 5,2 bilhões de reais.

As opções de compra de Vale lideraram o exercício, com Vale PNA a 39,58 reais por ação girando 570,9 milhões de reais; Vale PNA a 41,58 reais com 555,8 milhões de reais; Vale PNA a 43,58 reais com 554,4 milhões de reais; e Vale PNA a 46,00 reais com 532 milhões de reais.

A mineradora encerrou o pregão em alta de 1,2 por cento, a 46,70 reais, em linha com o movimento global de apreciação de papéis do setor na Europa e também no Brasil. MMX, por exemplo, avançou 2,05 por cento, a 14,90 reais.

"O que conta para o vencimento é a formação de preços ao longo do período. Desse modo, mesmo com o feriado em Nova York, investidores posicionados não deixariam passar um exercício", disse Leonel Pitta, analista na Lopes Filho & Associados. "O que determina o exercício é o preço e não o fluxo."

As ações preferenciais da Vale, por exemplo, foram negociadas a 42,40 reais no último pregão de 2009 e fecharam a sexta-feira a 46,14 reais, uma alta acumulada de quase 9 por cento.

"O investidor norte-americano que pagou 1 real para ter direito de comprar Vale a 42 reais irá curtir o feriado, mas não sem antes ter deixado o aviso na mesa de operações no Brasil para exercer o direito dele comprar as ações e ganhar a valorização do período", ilustrou.

Outra blue chip que costuma ser influenciada pelo vencimento foi Petrobras, que encerrou o dia em alta de 2,24 por cento, a 36,55 reais, respondendo pela maior influência positiva no Ibovespa. A alta foi ajudada pela elevação do petróleo.

Também do setor de petróleo, a OGX apreciou-se 4,3 por cento, a 19,18 reais.

Na cena corporativa, a novela iniciada com a oferta hostil da CSN pela produtora de cimento Cimpor ganhou novo capítulo. A Votorantim planeja entrar na disputa, que já conta com o grupo Camargo Corrêa além da CSN, publicou um jornal português nesta segunda-feira.

As ações da siderúrgica brasileira comandada por Benjamin Steinbruch fecharam em alta de 0,42 por cento, a 58,00 reais.

OUTROS DESTAQUES

O setor bancário foi mais um componente positivo, com Itaú Unibanco subindo 0,89 por cento, a 37,60 reais; e Bradesco registrando alta de também 0,89 por cento, a 36,40 reais. Nesta semana, bancos importantes nos EUA divulgam resultados, com destaque para Citigroup.

Fibria avançou 2,82 por cento, a 36,50 reais. O papel valorizou-se 60 por cento nos últimos dois meses de 2009, mas registra perda de 9 por cento em 2010.

Analistas não descartam um ajuste a perdas recentes, principalmente em um cenário de celulose em alta.

Em Nova York, não houve operações no pregão regular, em razão do feriado pelo Dia de Martin Luther King, mas teve negociação em plataforma eletrônica, embora com volumes reduzidos.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host