UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/01/2010 - 20h13

Receios com Bernanke e Obama pressionam NY

Por Chuck Mikolajczak

NOVA YORK (Reuters) - As bolsas de valores dos Estados Unidos encerraram em queda nesta terça-feira, depois que notícias sobre sólidos lucros e dados sobre a confiança do consumidor do país perderam efeito diante de temores que antecedem importantes decisões políticas e regulatórias na semana.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, teve oscilação negativa de 0,03 por cento, a 10.194 pontos. O Nasdaq Composite caiu 0,32 por cento, para 2.203 pontos. O Standard & Poor's 500 perdeu 0,42 por cento, para 1.092 pontos.

Os ganhos se dissiparam no fim do pregão, uma vez que investidores mostraram maior cautela antes do resultado da reunião de dois dias entre autoridades do Federal Reserve e do discurso do Estado da União do presidente Barack Obama na quarta-feira.

O Comitê de Mercado Aberto do Fed (FOMC, na sigla em inglês) iniciou nesta terça-feira um encontro de dois dias em meio a um debate no Senado sobre a confirmação de Ben Bernanke a um segundo mandato como chairman do BC norte-americano.

Espera-se que a reunião defina poucas mudanças na política monetária do país. O comunicado do Fed sobre a economia e o juro básico é esperado para a quarta-feira.

"A maioria dos investidores espera que o FOMC deixe as taxas de juro inalteradas. Eles não estão aguardando um grande comunicado desta vez simplesmente porque Bernanke ainda está num terreno íngreme", disse Kenneth Polcari, diretor geral da ICAP Equities, em Nova York.

Após uma abertura em baixa, os papéis passaram a subir diante de dados mostrando que a confiança do consumidor nos EUA subiu pelo terceiro mês consecutivo para o seu nível mais alto desde setembro de 2008, de acordo com o Conference Board. O número reduziu preocupações com gastos individuais.

O tom positivo, entretanto, não se sustentou.

Verizon Communications respondeu pela segunda maior influência negativa sobre o Dow Jones, após dizer que enfrenta uma recuperação mais lenta que a esperada. As ações da empresa recuaram 1,6 por cento.

Mas algumas companhias terminaram em alta. Travelers foi o maior impulso no Dow Jones, subindo 2,7 por cento. A seguradora divulgou um lucro de acordo com as expectativas de Wall Street.

Apple ganhou 1,5 por cento, um dia depois de reportar fortes resultados trimestrais. Também ajudou o fato de a empresa informar um crescimento antecipado nos lançamentos de produtos voltados à escrita digital.

A fabricante do iPhone deu o maior impulso ao Nasdaq, seguido pela Microsoft, que deve divulgar seu balanço no fim desta semana.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host