UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

02/02/2010 - 11h21

Recall gigante pode forçar Toyota a cortar previsão de vendas em 2010

Por Chang-Ran Kim and Soyoung Kim 

NAGOYA/DETROIT, 2 de fevereiro (Reuters) - O recall gigante de milhões de veículos da Toyota com problemas no acelerador está afetando as vendas da companhia e pode forçar a maior montadora do mundo a reduzir previsões de vendas para 2010.

 

As vendas de automóveis dos Estados Unidos em janeiro, que serão divulgadas nesta terça-feira, devem apresentar uma forte queda para a Toyota depois que a empresa retirou oito de seus modelos mais populares das concessionárias na semana passada por conta de queixas sobre pedais de aceleração.

Em um primeiro comentário público de um executivo da Toyota, o encarregado de qualidade da empresa afirmou esperar um impacto maior que o usual por conta do recall. 

"Estamos extremamente preocupados com a previsão de vendas", disse o vice-presicente-executivo, Shinichi Sasaki, em conferência na cidade de Nagoya.

"Já estou ouvindo que as vendas foram afetadas em janeiro", afirmou o executivo, acrescentando que a empresa apresentará balanço trimestral na quinta-feira.

Cerca de 8,1 milhões de veículos da Toyota fazem parte do recall, mais do que as vendas totais do grupo no ano passado.

Apesar da Toyota afirma que a ocorrência de problemas é rara, a confiança pública na marca está sendo abalada pela cobertura do recall, que inclui detalhes sobre acidente com um Lexus. O veículo teve uma aceleração não intencional que matou um patrulheiro que não estava em serviço e três membros de sua família na Califórnia, no ano passado.

Koji Endo, diretor da Advanced Research Japan, afirmou que tem havido falta de comunicação na direção da Toyota.

"Nunca vi a Toyota assim. Até recentemente, eles tinham uma cultura de reagir prontamente aos problemas. Mas a impressão que tenho agora é que o pessoal de relações públicas não está funcionando direito."

O presidente da Toyota, Akio Toyoda, neto do fundador da companhia, não fez um pronunciamento formal ao público ou à imprensa sobre os problemas. Enquanto isso, em Davos, na semana passada, ele apareceu rapidamente na emissora japonesa NHK e pediu desculpas aos clientes.

O diretor da companhia nos EUA, Jim Lentz, apareceu na TV na segunda-feira e também expressou desculpas como parte de uma campanha de releações públicas no maior mercado da Toyota.

Analistas afirmam que pode levar meses para que a montadora conserte todos os veículos sob risco de problemas no pedal acelerador.

Enquanto isso, rivais como a General Motors e Ford  têm oferecido descontos dirigidos a clientes da Toyota.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host