UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

09/02/2010 - 09h13

Emprego industrial fecha 2009 com maior queda desde 2002

SÃO PAULO, 9 de fevereiro (Reuters) - O nível de emprego na indústria brasileira caiu 0,6% em dezembro sobre novembro e 2,7% contra igual mês do ano anterior, encerrando 2009 com queda de 5,3%, a maior da série histórica iniciada em 2002 (veja gráfico ao final do texto).

Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

"O tom de 2009 foi de maiores demissões por conta da queda na produção industrial provocada pela crise global. A recuperação da produção veio só no segundo semestre e o mercado de trabalho demora mais a reagir", afirmou Andre Macedo, responsável pela pesquisa do IBGE.

Apesar dos dados ruins do mês, outros indicadores mostraram leituras melhores. A média móvel trimestral aumentou 0,4% em dezembro sobre novembro, no quinto mês de alta.

Já no quarto trimestre, o emprego teve alta de 1,6% sobre o trimestre anterior, quando o avanço havia sido menor, de 0,3%.

"A sequência de taxas negativas no emprego começou em outubro de 2008 e no meio do ano derrubou o emprego industrial. No segundo semestre houve uma ligeira recuperação", diz o IBGE.

Para 2010, Macedo vê uma recuperação mais significativa do emprego.

"Normalmente, há uma defasagem de 3 a 4 meses entre produção industrial e emprego. A indústria já tem resultados preliminares positivos para janeiro e fevereiro, mas só haverá resultado no mercado de trabalho pelo meio do ano."
   
Setores

Em dezembro sobre dezembro de 2008, o emprego diminuiu em 11 das 14 regiões do país pesquisadas, com destaque para o Sudeste, com queda de 3,1%.

Houve demissões em 11 dos 18 setores industriais, sendo a maior em Meios de transporte, de 8,4%.

Em 2009 como um todo, apenas o setor de Papel e gráfica teve aumento do emprego, sendo os destaques de queda Meios de transporte (-9,8%), Máquinas e equipamentos (-8,6%) e Vestuário (-7,9%).

Todas as regiões tiveram queda do emprego em 2009, sendo as mais fortes em São Paulo, de 4%, e Minas Gerais, de 8,5%.

O IBGE acrescentou que o número de horas pagas aos trabalhadores da indústria teve leve queda de 0,1% em dezembro sobre novembro e caiu 1,8% ante igual mês do ano anterior, acumulando em 2009 baixa de 5,6%, também o maior recuo da série.

O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores caiu 3,7% em dezembro mês a mês e 5% na comparação anual, recuando 2,8% em 2009.
 

(Reportagem de Vanessa Stelzer; Edição de Silvio Cascione)
 
 

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host