UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

18/02/2010 - 15h55

Auxílio-desemprego e inflação alimentam preocupações nos EUA

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - O número de trabalhadores requisitando auxílio-desemprego aumentou inesperadamente na semana passada, enquanto os preços no atacado do país subiram fortemente em janeiro, levantando obstáculos potenciais à recuperação econômica.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego avançaram em 31 mil, para 473 mil, informou nesta quinta-feira o Departamento de Trabalho. O mercado financeiro esperava uma leve queda.

Outro relatório mostrou que os preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) subiram 1,4 por cento em relação a dezembro, acima do esperado, uma vez que a gasolina mais cara e as temperaturas mais baixas que o normal impulsionaram os custos de energia.

"O quadro no mercado de trabalho ainda está fraco", disse Jennifer Lee, economista sênior da BMO Capital Markets, em Toronto. "Ainda levará mais um tempo até que tenhamos um crescimento decente e sustentável de empregos. E, até lá, os preços vão permanecer controlados, embora haja algumas pressões em formação."

Os decepcionantes números sobre os pedidos de auxílio-desemprego e preços ao produtor foram ofuscados por ganhos mais fortes na atividade manufatureira regional e o décimo crescimento mensal do índice de indicadores antecedentes.

O índice de atividade do Federal Reserve da Filadélfia avançou para 17,6 em fevereiro, ante 15,2 no mês anterior, enquanto o Conference Board informou que seu índice de indicadores antecedentes subiu 0,3 por cento em janeiro, após ganhar 1,2 por cento em dezembro.

Preocupações sobre o mercado de trabalho afetaram as vendas do Wal-Mart durante o trimestre de festas de fim de ano. A maior varejista do mundo informou que o cenário para vendas nos Estados Unidos será mais desafiador no primeiro trimestre.

PPI PODE ALIMENTAR TEMORES INFLACIONÁRIOS

O relatório sobre os preços no atacado pode gerar temores sobre pressões inflacionárias, que vinham sendo contidas pela capacidade ociosa nas fábricas e pelo fraco mercado de trabalho.

"A conclusão é que o Fed terá que tomar algumas decisões em seu próximo encontro, uma vez que parece que a inflação está de volta à mesa", afirmou Alan Lancz, presidente da Alan B. Lancz & Associates Inc, em Ohio.

Autoridades do Federal Reserve, de olho em quão rapidamente a economia em recuperação preenche a ociosidade construída durante a recessão, têm dito que provavelmente vão manter a taxa de juro extraordinariamente baixa por "um período prolongado".

Cerca de três quartos da elevação do PPI no mês passado ocorreram devido a um salto de 5,1 por cento nos preços de bens ligados a energia.

Desconsiderando os custos voláteis dos setores alimentício e de energia, os preços ao produtor aumentaram 0,3 por cento no mês passado, ritmo mais rápido que o esperado, após mostrarem estabilidade em dezembro.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host