UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/02/2010 - 09h30

Fibria tem prejuízo de R$150 milhões no 4o trimestre

Por Carolina Marcondes

SÃO PAULO (Reuters) - Após registrar um crescimento de 41 por cento nas vendas de celulose e praticamente zerar as perdas financeiras no quarto trimestre, a Fibria reduziu seu prejuízo líquido de 968 milhões de reais para 150 milhões de reais na comparação anual.

No terceiro trimestre, a companhia teve lucro líquido de 181 milhões.

Os números do quarto trimestre de 2008, utilizados na comparação anual, são pro-forma, visto que a fusão entre a Votorantim Celulose e Papel (VCP) e Aracruz Celulose, que resultou na formação da Fibria, ocorreu apenas no segundo semestre de 2009.

No acumulado de 2009 a maior produtora de celulose do mundo teve lucro 558 milhões de reais, revertendo o prejuízo de 1,31 bilhão de reais em 2008, ano em que a Aracruz registrou fortes perdas por conta de operações com derivativos.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 503 milhões de reais no quarto trimestre, queda de 8 por cento em comparação aos 546 milhões de reais registrados entre outubro e dezembro de 2008, resultado, principalmente, do menor preço médio líquido de celulose em reais, devido à valorização do real de 24 por cento em relação ao dólar, explica a Fibria no balanço. No terceiro trimestre do ano passado, o número foi de 426 milhões de reais.

A margem Ebitda ficou em 30 por cento, mesmo percentual do terceiro trimestre, mas abaixo dos 34 por cento do quarto trimestre de 2008.

No ano, o Ebitda totalizou 1,697 bilhão de reais, queda de 23 por cento ante os 2,196 bilhões em 2008. A margem Ebitda anual cedeu de 37 para 28 por cento.

A receita líquida, por sua vez, subiu 7 por cento nos três últimos meses do ano passado, de 1,593 bilhão para 1,698 bilhão de reais. De acordo com a Fibria, a queda foi resultado da pressão de preços no mercado interno.

Em relação ao trimestre imediatamente anterior, a alta foi de 21 por cento. No ano a elevação foi de 1 por cento, de 5,953 bilhões para 6 bilhões de reais.

O resultado financeiro líquido ficou negativo em 67 milhões no trimestre passado, contra 4,511 bilhões de reais um ano antes. No ano, o número ficou positivo em 1,77 bilhão de reais, revertendo o rombo de 7,286 bilhões de reais de 2009.

No quarto trimestre de 2009, a Fibria vendeu mais celulose do que produziu. A produção totalizou 1,395 milhão de toneladas, alta de 36 por cento ante o mesmo período do ano anterior (por conta do início da produção na unidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, no início do ano) e queda de 2 por cento em relação ao terceiro trimestre.

No ano, a alta foi de 19 por cento, de 4,37 milhões de toneladas para 5,188 milhões de toneladas.

Já as vendas da commodity foram de 1,46 milhão de toneladas no período entre outubro e dezembro de 2009, alta de 41 por cento na comparação anual. No ano, o crescimento foi de 27 por cento, de 4,117 milhões de toneladas para 5,248 milhões.

A dívida líquida da Fibria apresentou redução de 18 por cento tanto em relação ao quarto trimestre do ano anterior quanto ao terceiro trimestre do ano passado, chegando a 10,747 bilhões de reais. A relação entre dívida líquida e Ebitda ficou em 6,3 vezes, contra 7,2 vezes do terceiro trimestre.

A Fibria informou também que os investimentos em 2010 deverão ser de 1,247 bilhão, queda de 22,5 por cento ante os 1,609 bilhão investidos no ano passado.

Do total esperado para este ano, 896 milhões de reais serão destinados à manutenção das operações. No ano passado este segmento recebeu investimentos de 469 milhões de reais. De acordo com a Fibria, este aumento "reflete a necessidade da retomada de algumas atividades, principalmente silvicultura, que foram minimizadas durante a crise financeira global".

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host