UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/03/2010 - 13h12

Anglo retoma minas no Chile;Codelco mantém mina fechada

SANTIAGO (Reuters) - A mineradora global Anglo American informou nesta segunda-feira que retomou os trabalhos em quatro de suas operações de cobre no Chile, depois que um forte terremoto cortou o fornecimento de energia aos depósitos.

A produção foi afetada nas operações de cobre da Anglo nas minas de Los Bronces, El Soldado e Mantoverde,além da fundidora de Chagres. As minas produziram em 2009 341.300 toneladas de cobre, ou 51 por cento da produção da Anglo, enquanto que Chagres produziu 137.700 toneladas de anodos.

Já a Codelco, maior mineradora mundial de cobre, disse que mantinha fechada sua mina Andina, dois dias depois do terremoto.

A energia foi parcialmente restaurada nas operações da Anglo no final do sábado e a produção começou a subir no domingo após inspeções.

"Estamos em busca de uma retomada eficiente da produção total conforme a situação permitir", disse a presidente-executiva da Anglo, Cynthia Carroll, em comunicado.

A mineradora disse que suas minas de Mantos Blancos e Collahuasi, que também pertencem à Xstrata, não foram afetadas pelo terremoto.

O porta-voz da Anglo American, Marcelo Esquivel, havia dito mais cedo que a mina de Mantoverde, de 61 mil toneladas anuais de cobre, estava trabalhando a plena capacidade, depois das operações terem sido brevemente paralisadas devido a problemas de energia na manhã de sábado.

Também com ativos no Chile, a brasileira MMX, do empresário Eike Batista, informou nesta segunda-feira que o escritório da empresa fica a 800 quilômetros de Santiago, no deserto do Atacama, ao norte do país, e não foi afetado pelo terremoto.

"Ainda estamos na fase de prospecção no Chile e não iniciamos perfurações, está tudo certo por lá", informou uma assessora da empresa. A MMX pretende ainda construir um terminal portuário no Chile para escoar sua produção.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host