UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/03/2010 - 10h34

Produção industrial da Ásia cresce; atividade chinesa desacelera

Por Langi Chiang and Alan Wheatley

PEQUIM, 1o de março (Reuters) - A atividade industrial nas principais economias da Ásia cresceu no mês passado, com a Índia e a Coreia do Sul se expandindo no maior ritmo em dois anos, apesar de alguns sinais de enfraquecimento na China.

Duas pesquisas com gerentes de compras mostraram que a velocidade de crescimento do setor manufatureiro da economia chinesa, a terceira maior do mundo, desacelerou ligeiramente em fevereiro, mas economistas dizem que a tendência de recuperação continua intacta.

"Os formuladores de políticas econômicas estão incertos sobre os dados da atividade chinesa no momento", disse Brian Jackson, estrategista do Royal Bank of Canada em Hong Kong, acrescentando que o feriado do Ano Novo chinês complicou a interpretação dos dados.

"Então seria prematuro concluir que a queda de hoje nos números da produção industrial mostra uma redução maior na força da recuperação da China."

O índice manufatureiro chinês, feito pela Federação de Logística para a agência de estatísticas do país, caiu para 52 em fevereiro, abaixo da mediana das previsões de 55,45 de analistas consultados pela Reuters, ante 55,8 em janeiro.

Outra pesquisa, realizada pelo grupo Markit para o HSBC, mostrou o índice caindo para 55,8, do nível recorde de 57,4 em janeiro.

CRESCEM AS PRESSÕES INFLACIONÁRIAS

O índice de atividade industrial da Índia subiu para 58,5 em fevereiro, a leitura mais forte desde junho de 2008, de 57,7 em janeiro, impulsionado pela expansão da produção e das novas encomendas.

"Em 58,5, o índice é consistente com os atuais ganhos de dois dígitos da produção industrial, que, por sua vez, deveM significar que a capacidade ociosa está sendo reduzida rapidamente", disse Robert Prior-Wandesforde, economista sênior para a Ásia do HSBC.

Sinais de restrições do lado da oferta nos mercados de trabalho e de produtos também estão emergindo, o que apoia mais aperto monetário no mês que vem.

"Na nossa opinião, está na hora de começar a retirar os estímulos monetários, e nós ficaríamos muito surpresos se o banco central da Índia não elevar as taxas de juros na reunião de 20 de abril", disse Prior-Wandesforde.

As pressões inflacionárias também estão crescendo na Coreia do Sul, cujo índice manufatureiro subiu para o maior nível desde dezembro de 2007. O componente de preços de matérias-primas subiram pelo terceiro mês seguido e o de preços de produção avançou para 51,8.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host