UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 10h53

Analistas consideram "jogada" notícia chinesa sobre minério

Por Tom Miles e Nick Trevethan

PEQUIM/CINGAPURA (Reuters) - Uma notícia publicada pela imprensa chinesa de que as mineradoras globais estão oferecendo às siderúrgicas do país um aumento de 50 por cento nos preços do minério de ferro foi considerada por analistas como uma "jogada", já que preveem uma alta de 65 a 70 por cento.

A China tem de longe o maior setor siderúrgico do mundo, produzindo quase metade do aço bruto mundial no ano passado, quando as importações de minério de ferro do país saltaram 42 por cento, para um recorde de 628 milhões de toneladas.

O chefe do departamento de minério de ferro de uma grande siderúrgica chinesa disse ao estatal China Daily que as três grandes mineradoras de minério de ferro -- Vale, Rio Tinto e BHP Billiton -- querem um aumento de 50 por cento nos preços em relação a 2009.

As três mineradoras disseram que não vão comentar a matéria.

Entretanto, analistas da indústria afirmaram que 50 por cento parece ser baixo, considerando os altos preços à vista, que subiram mais de 50 por cento desde setembro, e os recentes comentários de mineradoras sobre a diferença entre o preço referencial e o mercado.

"Acho que isso é uma jogada e bastante esperada nessa época do ano. Com os grandes produtores de minério de ferro demonstrando interesse no preço à vista, será muito difícil para as siderúrgicas lutarem contra um grande aumento de preço", disse o analista da ANZ Mark Pervan, que prevê uma alta de 70 por cento.

O minério de ferro à vista desembarcado na China está sendo negociado em torno de 134 dólares a tonelada, o dobro do contrato FOB em 2009.

As mineradoras de minério de ferro, a BHP em particular, têm falado nas últimas semanas sobre a diferença entre os preços à vista e anuais, indicando que os preços fechados em contrato e os do mercado à vista precisam convergir.

Segundo o China Daily, o executivo da siderúrgica disse que a Baosteel, que lidera as negociações neste ano, "vai esperar para ver como as siderúrgicas japonesas e sul-coreanas reagem à proposta antes de tomarem uma decisão".

"Se outras siderúrgicas asiáticas aceitarem os novos preços do minério, então as chinesas não terão outra escolha a não ser aceitar o mesmo, já que parar a produção não é do melhor interesse da indústria", disse ele.

Uma fonte da principal siderúrgica sul-coreana, a POSCO, disse que não recebeu nenhuma oferta oficial das principais fornecedoras de minério de ferro, mas afirmou que as mineradoras disseram, durante reuniões casuais com siderúrgicas, que os preços deveriam voltar aos níveis de 2008.

O colapso dos mercados financeiros em 2008 provocou uma queda de 33 por cento nos preços anuais do minério de ferro fechados com o Japão e a Coréia do Sul.

Os preços altos podem afastar as siderúrgicas do antigo sistema de benchmark, levando-as a adotar um modelo híbrido anual ou trimestral, disse a fonte da POSCO.

RECORDE

O China Daily disse que a produção de aço bruto da China deve subir 8,6 por cento, para 621,5 milhões de toneladas em 2010, uma taxa de crescimento mais lenta do que a de 13,5 por cento do ano passado. O jornal não citou fonte para a estimativa.

Isso quer dizer uma alta na produção anual de 54 milhões de toneladas, contra 68 milhões de toneladas no ano passado.

Os carregamentos de minério de ferro caíram em janeiro, mas devem se recuperar e atingir um recorde mensal de mais de 60 milhões de toneladas em março, noticiou o China Securities Journal, citando analistas da indústria.

"O mercado físico está sendo conduzido pela demanda chinesa, com suporte de uma contínua recuperação da siderurgia nas economias desenvolvidas", disse o consultor David Tucker, da Hatch Beddows.

(Reportagem adicional de Niu Shuping e Cho Mee-young, e de Denise Luna no Rio de Janeiro)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host